Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Lello propõe curar maleitas com livros
30-11-2016

A propósito do Dia da Livraria e do Livreiro - que se comemora esta quarta-feira, dia 30 de novembro - os livreiros da Livraria Lello vestirão a bata de médicos, prescrevendo os livros indicados à cura de cada "doença".


Diz-se que há um livro para cada ocasião e é isso mesmo que a Livraria Lello quer provar. Corações partidos, entorses filosóficas, indigestões poéticas, insónias gramaticais, dores de consoantes, descalcificações sintáticas, neuroses verbais, alergias românticas - são algumas das "maleitas literárias" a que os livreiros procurarão providenciar a devida cura, através da prescrição de leituras apropriadas.


Os "pacientes" poderão inscrever-se previamente na página da Livraria Lello no Facebook ou simplesmente aparecer sem consulta marcada. A todos, os médicos-livreiros se comprometem a efetuar um cuidado diagnóstico e passar a devida receita. Procurando dar resposta à babel de nacionalidades dos visitantes da Livraria Lello, os livros a prescrever serão escritos em português, espanhol e inglês.


Visando sempre a promoção da leitura, os restantes livreiros distribuirão "haikus" aos visitantes, escritos em português e inglês. Este género de poesia de origem japonesa consiste em três versos sem rima.


O Dia da Livraria e do Livreiro, a 30 de novembro, começou a celebrar-se em Portugal em 2011, assinalando a data da morte de Fernando Pessoa (1935) e de Fernando Assis Pacheco (1995) - que faleceu à porta de uma livraria.