Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Um Objeto e seus Discursos regressa com Burmester e o piano que foi de Suggia
09-03-2018
Um recital do pianista Pedro Burmester e do violoncelista José Pereira de Sousa abre de forma diferente, neste sábado, a nova temporada do ciclo municipal Um Objeto e seus Discursos por Semana. Ambos os instrumentos a utilizar pertenceram a Guilhermina Suggia. 

O evento, com início às 18 horas no Palacete dos Viscondes de Balsemão, dá assim início a mais uma série de momentos que, durante 29 sábados e ao longo de todo o ano, vão ajudar a redescobrir e recordar pormenores que fazem o património material e imaterial da cidade do Porto.

Nesta sessão inaugural do programa, que entra na quinta edição, Pedro Burmester e José Pereira de Sousa são recebidos pelo ex-diretor da Biblioteca Pública Municipal do Porto, Luís Cabral, bibliotecário-arquivista, licenciado em Filologia Românica, conferencista e formador, com quem trocarão breves ideias sobre os instrumentos que irão tocar em seguida.

Apesar disso, haveria muito para dizer sobre esses instrumentos, sobretudo porque ambos pertenceram a Guilhermina Suggia. Aliás, esta sessão tem como Objeto central o piano, já que foi recentemente adquirido e restaurado pela Câmara do Porto, pelo que este é o momento da sua apresentação à cidade (descubra mais pormenores sobre este piano AQUI).

Em seguida, Pedro Burmester e José Pereira de Sousa vão interpretar peças de Schubert (Improviso op. 90 n.3), Rachmaninoff (Andante da sonata para piano e violoncelo em sol menor, op.19) e Brahms (Sonata para piano e violoncelo n.1 op.38). Cumprir-se-á então o Discurso correspondente ao Objeto da Semana, pois um dos discursos mais sedutores do violoncelo é justamente em duo com piano, por permitir um diálogo peculiar, um brilho muito próprio que faz até lembrar os momentos de estreia das duas irmãs, Guilhermina e Virgínia Suggia, na Assembleia de Matosinhos e no Palácio de Cristal (1892) ou a última atuação da violoncelista em Aveiro (1950), acompanhada por Berta Alves de Sousa. 

Quanto a Pedro Burmester, recorde-se que foi aluno de Helena Costa e terminou o Curso Superior de Piano do Conservatório do Porto com 20 valores, em 1981. Trabalhou com Sequeira Costa, Leon Fleisher e Dmitry Paperno, entre outros, e foi acumulando prémios desde cedo. Além de intensa atividade em concertos e gravação, foi diretor artístico e de educação na Casa da Música, sendo professor na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo (ESMAE).

Por sua vez, José Pereira de Sousa cncluiu o curso superior de violoncelo do Conservatório de Música do Porto com a classificação máxima, tendo recebido vários prémios. Apresentou-se como solista de várias orquestras e foi chefe de naipe também de várias. Foi professor de violoncelo e música de câmara na Universidade de Aveiro e Universidade Católica, constando igualmente do seu currículo gravações e atuações públicas, tanto em Portugal como no estrangeiro.

O ciclo Um Objeto e seus Discursos por Semana, para que pode adquirir bilhete ONLINE (2 euros), reserva muitas e variadas surpresas para este ano, as quais pode ir descobrindo a partir DESTA LIGAÇÃO.