Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Últimos dias para ver a exposição que assinala os 150 anos de Raul Brandão
29-09-2017
Acaba já neste fim de semana a oportunidade para visitar a exposição com que a Câmara do Porto está a assinalar o 150.º aniversário do nascimento do escritor.

Sábado, na Biblioteca Pública Municipal do Porto (BPMP), e domingo, na Casa-Museu Guerra Junqueiro (CMGJ), são os últimos dias em que está patente ao público a exposição "Raul Brandão: 150 anos", inserida no programa de comemorações com que a cidade vem homenageando um dos seus autores mais ilustres, desde março passado.

Assinalando também o centenário de "Húmus", a obra-prima de Raul Brandão (1867-1930) que o município reeditou com a chancela "Porto." - e que foi, aliás, alvo de uma lição por Maria João Reynaud na Feira do Livro deste ano - a exposição tem um polo na BPMP (ao Jardim de São Lázaro) que é dedicado à biografia e obra literária de Brandão. Encerra já neste sábado, podendo ainda ser visitado entre as 10 e as 18 horas, com acesso gratuito.

O outro polo, focado nas vertentes de pintura e ilustração que acompanharam a produção literária de Raul Brandão, está patente até este domingo na CMGJ (à Sé), que reabriu para o efeito após obras de remodelação. O acesso é livre entre as 10 e as 17,30 horas.

Com curadoria de Vasco Rosa, a exposição pretende contribuir para a (re)leitura e descoberta da obra de Raul Brandão e, no caso do polo na CMGJ, apresenta uma perspetiva sobre a obra pictórica do autor, raramente vista, que foi mostrada pela primeira vez no Porto. Aqui se expõe também ilustração contemporânea a partir de alguns livros de Brandão, da autoria de Carlos Carneiro e Joaquim Lopes, Mário Botas, Filipe Abranches e Luís Manuel Gaspar.

Esta dupla exposição reúne acervo municipal e de uma série de entidades públicas e privadas que se associam à Câmara do Porto na realização da iniciativa, cedendo algumas das obras e peças mais significativas do percurso artístico de Raul Brandão. Entre elas estão fotografias inéditas da autoria de Henri Maïkoff dos bastidores da adaptação cinematográfica de "O Gebo e a Sombra", realizada por Manoel de Oliveira em 2012. 

Refira-se que, do programa de comemorações dos 150 anos do nascimento de Raul Brandão, constaram também a exposição "Portugal Pequenino" - composta por trabalhos de alunos das escolas do Porto com base no livro infantil com o mesmo nome que Raul Brandão escreveu em parceria com a mulher, Maria Angelina - e uma sessão sobre a adaptação para teatro de outra obra brandoniana de referência, "Os Pescadores", por João Sousa Cardoso.