Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

TNSJ inicia restauro das fachadas do edifício riscado pelo Arq. Marques da Silva
10-07-2019
O Teatro Nacional São João (TNSJ), na Praça da Batalha, inicia nesta semana obras de conservação e restauro das fachadas do histórico edifício projetado pelo arquiteto Marques da Silva, nomeadamente das suas figuras e carrancas.

Segundo informação avançada pelo TNSJ, os trabalhos serão concluídos até à primeira semana de setembro, antes da abertura da nova temporada, agendada para o dia 18 desse mês.

A intervenção envolve um investimento de 80 mil euros e conta com o acompanhamento e supervisão da Direção Regional de Cultura do Norte, sendo resultado de uma inspeção periódica ao estado de conservação dos elementos escultóricos e decorativos da envolvente exterior do edifício. "Nessa inspeção, foram identificados elementos das esculturas já em destacamento, o que impõe uma intervenção urgente de reparação, de modo a reverter o fenómeno de corrosão das armaduras destas peças e a evitar a queda de pedaços de argamassa em via pública", revela a instituição.

A conceção das figuras e carrancas das fachadas do TNSJ envolveu três ilustres escultores da cidade do Porto: Henrique Araújo Moreira (1890-1979), Diogo de Macedo (1889-1959) e José Fernandes de Sousa Caldas (1894-1965). Estas esculturas adossadas às fachadas do edifício foram executadas em argamassas de cimento e possuem dimensões e motivos muito variáveis, atingindo em alguns casos cerca de dois metros.

"Tratando-se de um edifício classificado como Monumento Nacional, a intervenção irá acautelar os princípios de integridade e de autenticidade do projeto de Marques da Silva", garante o Teatro, que está a preparar as comemorações do centenário do edifício do arquiteto portuense.

Um edifício com muitas vidas

O edifício do TNSJ tem uma longa história associada a diferentes vertentes artísticas, sendo também um espelho da sociedade portuense e dos diferentes géneros artísticos vigentes em cada época. O primeiro edifício, denominado Real Teatro São João - em homenagem ao príncipe regente - foi inaugurado oficialmente no dia 13 de maio de 1798, sendo o primeiro edifício construído de raiz no Porto exclusivamente destinado à apresentação de espetáculos. No entanto, seria destruído por um incêndio na noite de 11 para 12 de abril de 1908.

Após dois anos, a instituição começa a ser reconstruída, num projeto de Marques da Silva. O edifício é inaugurado a 7 de março de 1920 e, em 1932, passou a chamar-se São João Cine, dedicando a maior parte da sua programação à exibição cinematográfica. O edifício foi esquecido e entrou numa fase de progressiva degradação. Em 1992, é adquirido pelo Estado e inaugurado como Teatro Nacional São João no final do ano, sendo nessa altura o único Teatro Nacional do Portugal democrático.

Entre 1993 e 1995, o edifício é submetido a obras de restauro, e é remodelado e reequipado de acordo com o projeto do arquiteto João Carreira. Em 2007, o TNSJ torna-se uma Entidade Pública Empresarial e, em 2009, começa uma intervenção na sua fachada principal. O edifício seria devolvido em esplendor à cidade em setembro de 2014.

No âmbito da sua missão de serviço público, o TNSJ cria e apresenta espetáculos, segundo padrões de excelência artística e técnica, promovendo o contacto com as obras referenciais, clássicas e contemporâneas, do repertório dramático nacional e universal. Além do Teatro Nacional São João, edifício-sede, assume ainda a responsabilidade da gestão de mais dois espaços culturais da cidade do Porto: Teatro Carlos Alberto (TeCA) e Mosteiro São Bento da Vitória (que é igualmente um Monumento Nacional).

O TNSJ é o único membro português na União dos Teatros da Europa, organização que congrega alguns dos mais importantes teatros públicos do espaço europeu e à qual pertence desde novembro de 2003.