Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Tipógrafo e historiadora conversam sobre incunábulo hebraico na Sinagoga do Porto
16-11-2017
A sessão de Um Objeto e seus Discursos por Semana incide, no próximo sábado, sobre um documento religioso hebraico e realiza-se em condições especiais na Sinagoga do Porto.

O Objeto em torno do qual se fará a conversa é o Perush Ha-Berakhot Ve-Ha-Tefillot, de David ben Joseph Abudarham, e o evento terá início, excecionalmente, às 18,30 horas, após as orações do Shabbat, cerimónias que findam quando são visíveis três estrelas no firmamento, após o pôr-do-sol. Além disso, a lotação máxima será de 70 lugares e, por questões de segurança, as pessoas terão de ser identificadas.

Ao contrário dos diversos incunábulos de proveniência germânica ou italiana que chegaram aos nossos dias em razoável estado de conservação, é pouco frequente a presença de obras impressas em Portugal nos primórdios da imprensa. Tal raridade torna ainda mais valioso este exemplar, datado de 1489 e produzido em Lisboa nas oficinas do Rabi Elieser Toledano, composto e impresso em carateres hebraicos.
Trata-se de uma obra de teor religioso, atribuída ao sevilhano David ben Joseph Abudarham (século XIV), cujas páginas desenvolvem um comentário a respeito das preces de todo o ano litúrgico. Além da sua inegável beleza, este volume mostra-nos a importância da comunidade judaica portuguesa em finais do século XV.

Para perceber melhor a importância do documento, a sessão conta com a participação de Elvira Mêa, professora catedrática aposentada do Departamento de História da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, tendo lecionado em várias outras de diferentes continentes. Com uma pesquisa histórica ligada sobretudo ao Judaísmo, Cristãos-novos, Inquisição e Marranismo e História de África no âmbito social, cultural e das mentalidades, é autora de dezenas de trabalhos e livros publicados em Portugal e no estrangeiro.
O outro convidado é Paulo Heitlinger, doutorado em Física Nuclear pela Universidade de Karlsruhe, que tem desenvolvido uma longa carreira como jornalista, autor, editor e formador.

A moderação estará a cargo do matemático luso-britânico Michael Rothwell, nascido em Manchester e radicado no Porto há 35 anos. Licenciado na Universidade de Cambridge e doutorado na Universidade de Manchester, desenvolveu as suas atividades profissionais na área da Informática e é professor de Matemática na Oporto British School, bem como tutor de Matemática na Universidade Aberta. É membro dirigente da Comunidade Israelita do Porto e delegado da Comissão da Nacionalidade, órgão da Comunidade que certifica descendentes de comunidades sefarditas de origem portuguesa, no âmbito das suas responsabilidades ao abrigo da Lei da Nacionalidade.

Visando divulgar os mais variados aspetos do património material e imaterial da cidade, as iniciativas do ciclo Um Objeto e seus Discursos por Semana são de acesso gratuito, mediante levantamento de bilhete. Nesta sessão em especial, a lotação está limitada a 70 pessoas e sujeita a identificação individual.