Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Sujidade que foi vista a entrar no Rio Douro não é saneamento nem representa risco ambiental
05-07-2016

Um vídeo posto a circular nas redes sociais, mostrando suposta sujidade a ser descarregada por uma ribeira no Rio Douro, não representa qualquer problema ambiental e mais não é do que terra proveniente da própria ribeira. O acontecimento foi pontual e aconteceu no âmbito de uma obra que visa resolver o crónico problema de inundações no Campo 24 de Agosto.


Depois de analisado o vídeo, que circula há cerca de uma semana no Facebook, a Águas do Porto esclareceu tratar-se apenas de sedimentos (terra) arrastados, há dias, e durante um curto espaço de tempo, pela Ribeira do Poço das Patas. Esta ribeira, que tem um caudal permanente de água, não transporta águas de saneamento nem o poderia ter feito, por não ter qualquer ligação ao sistema.


Na verdade, a terra arrastada pontualmente, deveu-se à importante intervenção que está a ser feita na rede de águas pluviais, a decorrer na Rua Santos Pousada, pela Águas do Porto, que visa resolver um problema histórico de inundações no Campo 24 de Agosto, e que chega a atingir a estação de Metro local. A obra visa instalar uma nova tubagem que drena águas pluviais para a Ribeira do Poço das Patas.


Durante a execução dos trabalhos (abertura de vala e instalação de tubo), o fluxo contínuo de água fez com que fosse arrastada alguma terra. Essa mancha, visível no vídeo, é resultante da mistura do normal caudal da ribeira com a terra arrastada desde a obra. Tratou-se de um fenómeno pontual, monitorizado e sem impacto ambiental significativo.


Na imagem não visualizavam quaisquer resíduos sólidos, que são presença constante e típica do saneamento doméstico. Vê-se, também, que a cor da descarga é bastante diferente de uma descarga de águas residuais domésticas.


O vídeo, que apelava a que "vejam o que está acontecer" não corresponde, por isso, à realidade normal daquela ribeira. O fenómeno teve uma duração limitada a poucas horas e, como já se disse, não teve impacto ambiental negativo, ao contrário do enorme impacto positivo que tem o investimento que a Águas do Porto está a fazer na rede de águas pluviais na cidade, nomeadamente, no Campo 24 de Agosto.


Recorde-se que a Águas do Porto tem investido muitos milhões de euros na melhoria da rede de saneamento e águas pluviais da cidade, dando dessa forma um contributo decisivo para a melhoria significativa da qualidade ambiental das águas do Rio Douro e das praias do Porto.

 

LEIA TAMBÉM: