Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

STCP recomenda aos passageiros só viajar de autocarro em caso de necessidade extrema
27-03-2020

A STCP recomenda aos passageiros que sejam, também eles, agentes de saúde pública, e que viajem de autocarro apenas em caso de necessidade extrema. A principal preocupação da empresa de transportes coletivos do Porto é a segurança dos seus trabalhadores e utentes, pelo que reforça recomendações, numa época de combate a possíveis situações de contágio de Covid-19.


Após o decreto do Estado de Emergência Nacional e com a ativação da Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil, a STCP - Sociedade de Transportes Colectivos do Porto solicita que os passageiros procedam de acordo com as recomendações da ARS-Norte (Administração Regional de Saúde do Norte) e da DGS (Direção Geral de Saúde): sempre que possível, assegurar uma distância de um metro relativamente a outros passageiros; havendo lugares vazios, não se sentar junto a outro passageiro; nas paragens, efetuar fila assegurando um perímetro de segurança de um metro.

E ainda, como passam a ser utilizadas somente as portas traseiras, permitir que os passageiros saiam antes de entrar na viatura. Além disso, é fundamental respeitar o espaço dos motoristas, pois fazem parte do grupo de profissionais essenciais para a continuidade dos serviços que não param pelo bem comum, e respeitar os outros passageiros, não ocupando um lugar que faz falta a quem vai trabalhar. Recordando que o "distanciamento social é obrigatório", a STCP recomenda que sejam unicamente realizadas viagens extremamente necessárias.

Até ao momento, para uma maior proteção dos seus trabalhadores e passageiros, a STCP já adotou as seguintes medidas: reforço de higienização e desinfeção nas viaturas e instalações; procedimentos de rastreio preliminar de sintomas aos trabalhadores; a entrada dos passageiros efetua-se pela porta traseira das viaturas; suspensão de validações e de venda de bilhetes a bordo; instalação de fita delimitadora de acesso ao motorista; suspensão do serviço do carro elétrico (linhas 1, 18 e 22), dado que assume uma vertente essencialmente turística; redução da operação regular para uma oferta de 60%, com algumas linhas reforçadas; cumprimento de lotação de 1/3 da totalidade do veículo; disponibilização de informação no interior dos veículos, nas paragens, Linha Azul, site STCP e redes sociais.