Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Startup do Porto que cria humanos digitais angaria 1 milhão de euros e abre vagas para mais quadros
24-09-2020
A startup do Porto Didimo, que cria versões digitais de alta fidelidade de qualquer ser humano, acaba de captar mais 1 milhão de euros de investimento numa ronda de financiamento externo. Esta injeção de capital abre caminho para a contratação de mais colaboradores especializados na área das tecnologias 3D.

Fundada em 2016, por iniciativa da empreendedora Verónica Orvalho, a startup do Porto Didimo, soma e segue. Depois de no final do ano passado ter angariado o expressivo montante de 4,4 milhões de euros, alcançou agora, em plena pandemia, mais 1 milhão de euros para continuar a escalar, informa em comunicado.

A mais recente aposta da sociedade de capital de risco Armilar Ventures Partners, que liderou a operação, de que também tomaram parte os investidores portugueses Bright Pixel e PME Investimentos, em colaboração com o fundo de coinvestimento 200M, permite à Didimo avançar com a contratação de mais oito profissionais. O talento e o conhecimento de novas ferramentas digitais são fatores críticos no processo de recrutamento.

Com estas novas entradas a equipa passará a contar com 35 elementos, viabilizando assim os planos de crescimento da startup, que quer também lançar uma aplicação para os sistemas operativos iOS e Android, avança CEO Verónica Orvalho, em comunicado.

Inspirada na etimologia da palavra grega "didimo", que significa "gémeo", a startup oferece um produto altamente inovador, ao criar em apenas 20 segundos um "humano digital". Basta, para isso, que o cliente/utilizador forneça uma simples selfie para que a Didimo, rapidamente, devolva uma versão virtual animada, "com uma fidelidade incomparável na indústria de modelação em três dimensões e sem precisarmos de conhecimentos de engenharia ou de arte", assinala o Dinheiro Vivo.

Esta solução está por enquanto disponível numa aplicação em fase de testes, chamada Didimo Xperience e pode ser descarregada para qualquer smartphone com sistema operativo Android ou iOS.

Incubada no UPTEC - Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto (no polo de Leça da Palmeira), a startup tem granjeado ao longo do seu percurso o apoio de vários investidores, sobretudo portugueses. Portugal Ventures, Farfetch, Bynd Venture Capital, Beta-i e a LC Ventures compõem o leque de entidades mais sonantes, mas também a Comissão Europeia, no âmbito do projeto-piloto Accelerator do Conselho Europeu da Inovação já financiou a Didimo com 1,8 milhões de euros.