Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Ryanair retoma voo Porto-Londres ainda em maio mas com restrições na ocupação
12-05-2020
A companhia aérea irlandesa anunciou recentemente o regresso à operação do voo Porto-Londres para o dia 22 de maio. Haverá uma rota diária e serão cumpridas todas as restrições, como a ocupação de passageiros a níveis muito baixos, considerando que esta retoma acontece ainda num contexto de ligações aéreas mínimas por motivos de emergência. 

Segundo destaca a Ryanair em comunicado, mais de 99% das aeronaves das suas aeronaves estão e continuarão estar aterradas nas próximas semanas, dado que a maioria dos países da UE impôs proibições de voo ou outras restrições.

Contudo, e garantindo o cumprimento das restrições, a operadora low cost tem retomado algumas rotas, no sentido de manter algumas ligações aéreas mínimas abertas por motivos de emergência, mesmo que a ocupação de passageiros nesses voos seja muito baixa.

Esse trabalho, feito em articulação estreita com os países da UE, contempla a reativação de um voo diário Porto-Londres a partir da próxima semana (sexta-feira, dia 22).

No comunicado, fonte da Ryanair assinala que as ligações mantidas ou criadas são consideradas "vitais" e pretendem solucionar situações de emergência que possam exigir viagens urgentes para os passageiros e respetivas famílias durante os próximos dias e semanas.

Todas as aeronaves são desinfetadas diariamente e a transportadora aérea pede que os passageiros "cooperem plenamente com as nossas tripulações, que estão a fazer o seu melhor em tempos difíceis".

A Ryanair acrescenta que, neste momento, espera que os voos regulares regressem em julho. "Apoiamos as medidas tomadas pelos governos da UE para combater o vírus, e esperamos que se implemente um plano coordenado para levantar as restrições de viagem assim que a Europa estiver pronta para voltar a voar e a situação da Covid-19 estiver controlada, o que esperamos que seja tão cedo quanto possível", conclui.