Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Rui Moreira vai assumir negociação com Juntas de Freguesia e retira movimento do Grupo de Trabalho
24-04-2018

Presidente da Câmara revelou ontem em Assembleia Municipal que não ficará à espera dos resultados do Grupo de Trabalho criado por sugestão do Partido Socialista sobre delegação de competências para as Freguesias. "Se aceitei criar o Grupo de Trabalho a pedido do PS e se são agora os socialistas a fazerem política e demagogia sobre este tema desta forma, então irei eu reunir com os presidentes e o nosso representante abandonará o grupo", disse Rui Moreira, após vários presidentes de Junta lhe terem manifestado apoio.




No final da sua intervenção sobre a prestação de contas de 2017, na Assembleia Municipal do Porto, Rui Moreira afirmou que a comissão foi criada a pedido do PS e que, já depois de constituída, os presidentes de junta lhe pediram "uma única" reunião coletiva à qual não acedeu porque se "sentiu inibido" por já existir uma comissão de trabalho. e porque a carta em que pediam o encontro chegou primeiro à comunicação social.


Na resposta que enviou a todos os presidentes de junta, que ontem foi lida na Assembleia Municipal por Sofia Maia, presidente de uma das Uniões de Freguesias, Rui Moreira afirmou que "alguns dos factos" pelos autarcas apontados "não correspondem à realidade e outros são demonstrativos de algum desconhecimento do enquadramento legal que preside à relação entre o município e as freguesias".

"Não é correta a afirmação de que haverá falta de momentos de reunião e de diálogo entre as juntas de freguesias e a câmara. Na verdade, decorrem reuniões com grande frequência entre V. Exas. e os diferentes pelouros da câmara, com os vereadores, os serviços e as empresas municipais", escreveu.

Rui Moreira, depois do PS criticar a sua atuação por não aceder ao pedido de reunião, frisou que "é desagradável" que o partido que propôs a criação do Grupo de Trabalho, e a quem o presidente da Câmara acedeu, venha agora dizer que "é insensível".

"Não vou fechar o grupo, vou-me sim sentar com os presidentes de Junta e fechar o que puder fechar. Não posso ser preso por ter cão e por não ter", vincou.

Antes desta intervenção, a autarca da União de Freguesias de Lordelo do Ouro e Massarelos, Sofia Maia (RM), lamentou a publicação da carta de Rui Moreira, tal como o presidente da freguesia de Paranhos, Alberto Machado (PSD).


Igualmente crítico, o autarca da freguesia do Bonfim, José Manuel Carvalho (RM), considerou que a missiva "foi cobardemente" divulgada, estando agora a oposição a tirar partido da situação, nunca tendo antes manifestado interesse pela situação.

O autarca aludia ao facto de PS, BE e CDU terem apresentado moções, que foram aprovadas, onde apoiam as diligências dos autarcas.

Depois da comunicação de Rui Moreira, a deputada do PSD Mariana Macedo, disse que ia abandonar a comissão por considerar que as suas funções se esvaziam, deixando-a reduzida a dois elementos, um do PS e outro da CDU.