Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Reunião sobre a TAP com PM
13-02-2016

O Primeiro-Ministro António Costa e Rui Moreira vão encontrar-se esta semana, depois do presidente da Câmara ter enviado uma carta a António Costa a pedir uma reunião "com carácter de urgência", para discutir a questão da TAP e do envolvimento do Estado na definição de rotas estratégicas para o Aeroporto do Porto.


A notícia, avançada hoje pelo semanário Expresso, acontece na sequência da polémica da estratégia da TAP para o Porto. Segundo o Jornal de Notícias de hoje, a TAP já assumiu junto do Conselho Metropolitano do Porto que a prioridade é Lisboa, confirmando os receios que Rui Moreira tem vindo a tornar públicos. O presidente da Câmara reuniu-se quinta-feira à noite com o principal acionista e presidente do Conselho de Administração da empresa, Humberto Pedrosa, mas o teor da reunião não foi revelado.


O Ministro do Planeamento e Infraestruturas tem dito que o Governo, mesmo tendo adquirido capital e ficando com 50% da empresa, não pode intervir na definição de rotas, mas António Costa não diz extamente a mesma coisa, falando na "definição de rotas estratégicas" e em "crescente internacionalização do Aeroporto do Porto". Estas posições contraditórias não estão esclarecidas e Rui Moreira pretende que António Costa clarifique qual é, afinal, a real capacidade do Estado para proteger o serviço público.


Entretanto, a anunciada reunião de Fernando Pinto, presidente da Comissão Executiva da TAP, com o Conselho Metropolitano, anunciada pelo Ministro Pedro Marques no Parlamento e por Hermínio Loureiro na RTP, não ser realizará, uma vez que a TAP a cancelou ou, pelo menos, adiou.


A TAP tem vindo a abandonar o Aeroporto do Porto e Rui Moreira, desde o dia 2 de dezembro, que vem denunciando o agravamento da política de drenagem de tráfego para Lisboa. A TAP procura justificar-se com a existência de uma "ponte aérea Porto-Lisboa", mas é precisamente isso que Rui Moreira acha dispensável e fazer parte da política de abandono do Aeroporto.


A Câmara do Porto divulgou há dias que mais de três dos 10 milhões de passageiros transportados pela TAP em Lisboa, não se destinam a Lisboa, mas são passageiros em trânsito.