Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Rui Moreira: "O Porto atravessa um período de expansão económica verdadeiramente ímpar"
15-03-2017

O presidente da Câmara do Porto participou esta manhã, juntamente com o Ministro do Planeamento e das Infraestruturas, na abertura das "Jornadas Millennium Empresas", que hoje decorreram no Palácio do Freixo. Perante uma plateia repleta de empresários, Rui Moreira fez um balanço às contas do Município e ao momento ímpar que a cidade atualmente atravessa, quer ao ao nível da captação de investimento, quer ao do rejuvenescimento do seu tecido empresarial. 

 

Na abertura do encontro, organizado pelo Millennium BCP, o autarca afirmou que a cidade do Porto vive hoje "um período de expansão económica e de rejuvenescimento do seu tecido empresarial verdadeiramente ímpar", tal como as contas públicas do Município, "que apresentam a sua melhor performance de sempre, com níveis históricos de baixo endividamento", cifrando-se agora em cerca de 30 milhões de euros - ou seja, menos de um terço que a dívida existente no final de 2013.



 

Para Rui Moreira, esta estratégia de contas sãs "trará proveitos e benefícios para os cidadãos a médio e longo prazo", abrindo espaço "ao investimento e à independência financeira". Só assim, explica, "é possível que saia do papel, ao fim de catorze anos, o Terminal Intermodal de Campanhã, projeto-âncora da Área de Reabilitação Urbana de Campanhã-Estação", ou que se tenham as obras de reabilitação do Bolhão, "o maior investimento público da Câmara em muitos anos".

 

A par do lançamento de novas obras, Rui Moreira destacou, também, a resolução de vários dossiês históricos e que representavam riscos, em alguns casos insuportáveis, para o Município, casos do Centro Comercial Cidade do Porto, Dallas, Parque da Cidade, Aleixo e Ouro, entre outros. "A resolução destes e outros casos, que pendiam em litígio ou ameaçavam fortíssimos prejuízos para o erário público, estão hoje resolvidos e pacificada a relação com os agentes económicos que operam e desenvolvem a cidade".

 

Apontando a receita da derrama - superior a 20 milhões de euros em 2016 e a maior dos últimos dez anos - como "um excelente indicador do extraordinário dinamismo económico que se vive na cidade", Rui Moreira lembrou que o Porto acelerou em 30% a criação de empresas na cidade, sendo já hoje a zona do país mais empreendedora no que respeita ao número de 'startups', representando 36% do ecossistema nacional.

 

Na intervenção, o presidente da Câmara do Porto frisou ainda a necessidade de investir no Aeroporto do Porto, que em 2016 superou os nove milhões de passageiros "Este desempenho e crescimento constante, ano após ano, determina novos investimentos nos próximos cinco anos para permitir o aumento sustentável da capacidade de tráfego aéreo".