Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

"O Batalha é um sonho que vai ser cumprido"
13-01-2017

Um dia depois de anunciar que a Câmara do Porto vai assumir a gestão do Cinema Batalha durante os próximos 25 anos, Rui Moreira visitou esta manhã o histórico edifício que será novamente colocado ao serviço da produção cultural da cidade, depois de anos de degradação.


"Era uma velha ambição da cidade, um velho sonho nosso, que vai finalmente ser cumprido. Havia há demasiado tempo uma sensação de perda em relação a este edifício, que é também um monumento. A solução está encontrada", afirmou o presidente da Câmara do Porto, no final da visita que realizou ao Cinema Batalha, acompanhado do vereador do Urbanismo, Manuel Correia Fernandes, e dos arquitetos Alexandre Alves da Costa e Sérgio Fernandez, a quem será confiado o projeto de recuperação do Batalha.


"Guardo imensas recordações de aqui vir com a minha avó, ver cinema e depois ir beber chá. Entre os anos 60 e 70, terei vindo cá algumas centenas de vezes", recordou o autarca, reafirmando a intenção de voltar a fazer do Batalha "uma casa do cinema, onde também se possa fazer investigação e todo um trabalho absolutamente necessário para promover o cinema, nomeadamente, através de uma colaboração ativa com a Cinemateca, que é também uma velha pretensão da cidade do Porto. Tudo isso está previamente acautelado. Vamos agora desenvolver o projeto".


Para já, é impossível prever prazos e valores para a intervenção, embora Rui Moreira garanta que será "seguramente um investimento suportável pelo erário municipal. Aquilo que sabemos é que fizemos um contrato de arrendamento perfeitamente razoável, que preserva os direitos dos proprietários".


O contrato de arrendamento prevê o pagamento de uma renda mensal de 10 mil euros aos atuais proprietários do imóvel, construído na década de 1940 e classificado como Monumento de Interesse Público em 2012.




O PROJETO DAS NOSSAS VIDAS


A recuperação e necessária adaptação do histórico Cinema Batalha às atuais exigências será confiada ao professor e arquiteto Alexandre Alves da Costa, com fortes ligações ao edifício e ao cinema.


"Não vai ser um projeto simples, mas mais ver ser o projeto da nossa vida. Vamos começar a pensar nele já a partir de hoje", revelou o arquiteto, considerando que esta "é uma obra absolutamente essencial para cidade".


"Sei que este edifício merece ser trabalhado no sentido da sua recuperação. O desenho é absolutamente fantástico, a linguagem arquitetónica usada é extremamente inovadora. Temos agora que nos adaptar aos tempos novos e criar valências que respondam às necessidades contemporâneas".


O Cinema Batalha tem no presente uma lotação de 889 lugares, distribuídos pela plateia, tribuna e balcão. No piso inferior, a Sala Bebé tem uma lotação de 135 lugares.