Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Rui Moreira lembra que daqui a 18 meses a cidade vai estar a pensar o futuro da Cultura e da Galeria
22-02-2020
Pelo meio de andaimes que transformam a Galeria Municipal do Porto num autêntico estaleiro, o presidente da Câmara aproveitou a apresentação da programação cultural deste espaço para os próximos 18 meses para sublinhar que é esse o tempo que nos separa das próximas eleições autárquicas.

"Daqui a 18 meses, a cidade estará a repensar o que quer fazer da Cultura e da Galeria Municipal", frisou Rui Moreira perante artistas, curadores, atores, estudantes de artes e o público em geral que ali foram em peso, na noite passada, para descobrir o que a arte contemporânea e a cultura vão viver no próximo ano e meio, tendo a Galeria Municipal do Porto como epicentro.

Falando de um futuro em que "alguém estará aqui a pensar diferente, e ainda bem", Rui Moreira fez indiretamente pensar no modo como tem revolucionado o panorama cultural portuense desde que assumiu o cargo. A "ponte" de ideias fê-la ao justificar o ambiente algo festivo da apresentação de ontem, dia de luto municipal por Pedro Baptista. É que, além de deputado e ensaísta, o comissário geral das comemorações dos 200 anos da Revolução Liberal, falecido repentinamente na passada quinta-feira, foi e era sempre ele próprio "um revolucionário", tanto do ponto de vista político como em termos de cidadania.

Por isso, e recordando que fez o mesmo aquando da morte do seu ex-vereador da Cultura, Paulo Cunha e Silva, o presidente da Câmara fez questão de também agora manter os eventos culturais conforme estavam previstos, até porque "tal como o Paulo Cunha e Silva, o Pedro Baptista quereria que continuássemos".

E assim vai ser, pelo menos nos próximos 18 meses, período a que respeita a programação da Galeria Municipal do Porto ontem apresentada num evento noturno, diferente, informal, explicado por Guilherme Blanc (diretor artístico da Galeria e de Arte Contemporânea e Cinema da Ágora) como sendo o início de "um novo ciclo com uma nova equipa".

Evento diferente introduz ciclo diferente

Desde logo, a apresentação incluiu a performance de Nástio Mosquito "No.One.Gives.A.Mosquito's.Ass.About.Trabalho.De.Preto - Hino Carne", um DJ set de Odete e também o lançamento da publicação "Politics of Survival". Este último resulta da articulação da Galeria com os Cursos Pláka, nomeadamente da iniciativa realizada em 2018, e é a primeira de uma série de publicações dos cursos de arte contemporânea, reúne contributos de Álvaro Domingues, Camille Louis, Carlos Costa, Gabriela Vaz-Pinheiro, João Luís Fernandes, Jorge Leandro Rosa, Jorge Palinhos, Lia Carreira, Margarida Mendes, Mariana Pestana, Marjetica Potr, Marta Alvim, Matilde Seabra, Rui Matoso e VIPA (Aliki Kylika & Kyveli Anastasiadi).

De resto, a Galeria Municipal vai aprofundar a estratégia de disseminação das práticas artísticas que apoia, prosseguir o apoio aos artistas e à criação artística, bem como a sua divulgação, e vincar bem a relação da própria Galeria com o património artístico, aproximando passado e presente.

Apresentando um total de 14 exposições entre março de 2020 e agosto de 2021, a Galeria Municipal do Porto dará assim continuidade a um programa regular dedicado à arte contemporânea, com o propósito de estimular uma reflexão sobre tendências artísticas e discursivas e promover uma análise sobre o estado da contemporaneidade através da arte.

A programação irá dividir-se em duas vertentes: o Piso 0 será dedicado a seis exposições coletivas que partem de uma investigação e reflexão sobre um tema da contemporaneidade, enquanto na Mezzanine serão apresentadas seis exposições individuais de artistas. Transversalmente, o programa provoca parcerias internacionais com curadores e instituições, com vista ao desenvolvimento da prática artística nacional.

Paralelamente, o Projeto Educativo foi reformulado - mantendo a oferta à comunidade escolar de visitas guiadas, percursos, workshops e participação em ações dos Programas Públicos - e aumentado com o PING! - Programa de Incursão à Galeria. Dirigido a jovens adultos, o PING! será desenvolvido entre a Galeria e as escolas do Porto, tendo como objetivos principais encorajar o pensamento e estimular linguagens artísticas.

Também incluído na programação está o projeto Anuário e as suas duas exposições "fora de portas". A primeira, "Anuário 19", tem inauguração já a 5 de março e é realizada em parceria com a Fundação da Juventude, no Palácio das Artes.

Saiba tudo AQUI.