Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Rui Moreira é orador em fórum mundial em Moscovo sobre as cidades do futuro
13-07-2018

O Porto é hoje uma referência global em termos de Cultura, indústrias criativas e realização de grandes eventos, áreas privilegiadas no seu conceito de cidade sustentável, razão por que Rui Moreira é um dos oradores convidados do MUF - Moscow Urban Forum.


O presidente do Município portuense participa, na próxima semana, em dois debates integrados no programa deste fórum internacional, que anualmente se realiza em Moscovo. 


"A Megacidade do Futuro: um Novo Espaço para se Viver" é o mote da edição 2018 do MUF, reconhecido como plataforma para análise e exposição de temas do planeamento estratégico urbano, arquitetura e economia das cidades.

Nos dias 17 e 18 de julho, líderes de cidades e representantes de governos, urbanistas, economistas, arquitetos, empresários e empreendedores "vão partilhar pontos de vista sobre as tendências e os desafios que enfrentam as megacidades mundiais", informa a organização.

As transformações das cidades nas últimas décadas, as opções e os instrumentos para a construção do futuro ou a capacidade de adaptação de soluções espaciais e de infraestruturas às mudanças do foro económico, ambiental, tecnológico, social e cultural são os tópicos latos do congresso.

Num fórum que reúne representantes de cidades como Hamburgo, Amesterdão ou Valência, entre muitas outras, o presidente da Câmara do Porto intervirá, nos dois dias, em painéis sobre a Cultura como setor-chave da sustentabilidade urbana e a importância dos grandes eventos na criação de experiências que captam públicos e se tornam dínamos do desenvolvimento.

Levando à capital russa a experiência do Porto, Rui Moreira - autarca apresentado como "o primeiro candidato independente a ser eleito numa importante cidade europeia", o que "despertou o interesse de media de todo o mundo" - será chamado a contribuir para o debate sobre questões como a criação de um ecossistema favorável ao florescimento das indústrias criativas e culturais; a cooperação público-privada nestes domínios; o impacto e o poder de transformação dos grandes eventos culturais e desportivos; ou as dinâmicas de negócio geradas quando estes eventos se encontram com outros setores, como a restauração, hotelaria e indústrias criativas.