Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Rui Moreira e Elisa Ferreira abrem Cities Forum 2020 e destacam papel das cidades para uma Europa coesa
30-01-2020

O Cities Forum 2020 reúne entre hoje e sexta-feira, na Alfândega do Porto, cerca de 800 líderes europeus, na sua grande maioria autarcas e representantes do poder local e regional. Na cerimónia de abertura desta tarde, o presidente da Câmara do Porto e a comissária europeia para a Coesão e Reformas sublinharam o importante papel dos centros urbanos na construção de uma Europa mais coesa, com políticas fortes e comprometidas de sustentabilidade. Horas antes, durante a manhã, Elisa Ferreira foi recebida por Rui Moreira na Câmara do Porto, com quem almoçou em privado, na Casa do Roseiral, a convite do autarca.


A iniciativa, promovida de dois em dois anos pela Comissão Europeia, realiza-se pela primeira vez na cidade, em parceria com o Município do Porto. Na sessão de boas-vindas, Rui Moreira destacou a importância de a Invicta acolher um fórum desta dimensão, o único a nível europeu que coloca as cidades no centro do debate. Numa edição que se desenvolve a partir do tema "Juntos moldamos um futuro urbano sustentável", o autarca referiu perante uma vasta plateia que considera a palavra "sustentabilidade" a keynote word (palavra-chave) do Cities Forum 2020, defendendo que as cidades podem, efetivamente, aportar grande valor a um desígnio que se desdobra "em três ângulos": sustentabilidade ambiental, económica e social.

"Este triângulo virtuoso" será, de facto, cumprido "se houver coragem dos políticos" em assumir decisões que, embora possam parecer agora sacrifícios, "estarão a ser aplaudidas daqui a 20 anos" pelas gerações vindouras, considerou. O presidente da Câmara do Porto assinalou ainda que num tempo em que os perigos do populismo e da demagogia proliferam, cabe às cidades assumir um papel forte de liderança "e de soberania", capazes de neutralizar as ameaças à liberdade e à democracia.



Eleita em novembro do ano passado comissária europeia, a portuense Elisa Ferreira subiu ao palco da Sala de Arquivo da Alfândega do Porto, dirigindo as primeiras palavras de agradecimento ao anfitrião Rui Moreira, com quem passou, de resto, a manhã, entre os Paços do Concelho e os jardins do Palácio de Cristal (onde se localiza a Casa do Roseiral, que acolhe as receções oficiais do presidente da Câmara do Porto). Também nessa nota introdutória, a dirigente, que passa agora grande parte do seu tempo em Bruxelas, referiu que não deixa de ser simbólico o primeiro ato público em Portugal, no curso das suas atuais funções, ocorra "na cidade onde nasci".

Dirigindo-se aos presidentes de câmara e representantes europeus, Elisa Ferreira garantiu o seu empenho em dar mais meios e voz às cidades, porque considera o seu papel "crucial" na resposta a uma série de matérias, nomeadamente no combate à pobreza e exclusão, na agenda climática para a redução e neutralidade da pegada de carbono e no desenvolvimento de soluções inovadoras.

Aliás, a comissária europeia considerou que qualquer estratégia de futuro para a Europa "deve ter as cidades como principais players [pivots]" e revelou que a Comissão Europeia "propôs o crescimento das políticas de coesão para o desenvolvimento urbano sustentável de 5%, no mínimo, para 6%, no que respeita ao próximo envelope do Fundo de Desenvolvimento Regional Europeu", que inicia em 2021. Atualmente, a verba é de 70 biliões de euros, indicou Elisa Ferreira.

Na sequência da intervenção da comissária europeia, o secretário de Estado do Planeamento, José Mendes, focou o seu discurso na importância da preparação do próximo quadro comunitário (entre 2021 e 2027). Para o governante, o mesmo deve ser visto como uma oportunidade para apostar em estratégias urbanas, porque "é inquestionável que cidades são catalisadores de desenvolvimento de um país", considerou.

Na sessão de abertura, intervieram ainda a diretora executiva do programa das Nações Unidas UN-Habitat, Maimunah Mohd Sharif (por mensagem de vídeo), o adjunto do Ministério do Ordenamento do Território da Croácia, Danijel Zamboki, a secretária de Estado do Ministério do Interior, Urbanismo e Comunidades da Alemanha, Anne Katrin Bohle, e Dario Nardella, presidente da Câmara de Florença (Itália) e vice-presidente da rede EUROCITIES, onde o Porto preside no Fórum do Ambiente.