Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Rui Moreira apresenta ao Executivo proposta para reforço de oito linhas da STCP até final de dezembro
03-09-2020

O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, apresenta na reunião de Executivo Municipal da próxima segunda-feira um plano de reforço da oferta de oito linhas da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP), nomeadamente naquelas em que a procura de passageiros é mais elevada. A proposta pretende neutralizar os efeitos da redução da lotação máxima dos autocarros, em contexto de pandemia. O investimento assumido integralmente pela autarquia pode ascender aos 420 mil euros.   


Após ter visto aprovada a sua proposta por toda a Unidade Técnica de Suporte (UTS), estrutura que integra os seis municípios servidos pela STCP, em meados de agosto, Rui Moreira leva agora o documento à apreciação do Executivo Municipal, na reunião marcada para o dia 7 de setembro.

Em causa está o reforço das linhas e horários do 200 (Bolhão-Castelo do Queijo), 201 (Aliados-Viso), 203 (Marquês-Castelo do Queijo), 204 (Hospital de S. João-Foz), 205 (Campanhã-Castelo do Queijo), 207 (Campanhã-Mercado da Foz), 208 (Aliados-Aldoar) e 305 (Cordoaria-Hospital de S. João), entre os meses de setembro e dezembro. Uma medida "imperiosa" e de "interesse público", sustenta o presidente da Câmara do Porto, tendo em conta o arranque do novo ano escolar, previsto para o início da próxima semana.

Recorde-se que o autarca antecipou estes constrangimentos ainda em julho, altura em que solicitou ao conselho de administração da STCP um levantamento dos serviços mais carentes de reforço. Tanto mais sabendo que, logo em junho, a empresa já tinha reportado que a lotação máxima de dois terços por veículo começava a aproximar-se do limite permitido, a determinadas horas do dia. Facto, aliás, que se continuou a verificar nos meses de julho e agosto.

O reforço transitório da oferta da STCP poderá entrar em vigor após aprovação do Executivo Municipal "e o mais tardar a partir de 1 de outubro de 2020". A medida prolonga-se depois até dia 31 de dezembro.

"Na ausência de meios próprios da STCP suficientes, o reforço será feito exclusivamente com recurso a subcontratação do serviço/aumento", assinala ainda a proposta do presidente da Câmara.

O aumento de horários e frequências pressupõe um investimento que poderá atingir os 420 mil euros, assumidos "individual e integralmente" pelo Município do Porto.

Os seis municípios onde a rede da STCP são Porto, Gondomar, Maia, Matosinhos, Valongo e Vila Nova de Gaia.