Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Rui Moreira aponta "solução a Norte" em artigo de opinião no JN e lança o debate para o Teatro Rivoli
24-07-2020

O investimento urgente na recapitalização das empresas, a inovação tecnológica da indústria e a aposta na diferenciação da oferta turística, constituem, para o presidente da Câmara do Porto, o tridente da "solução a Norte". No artigo de opinião que hoje assina no Jornal de Notícias, Rui Moreira apela a uma estratégia conjunta da Região na captação dos recursos disponíveis para a retoma, e avisa que "a intervenção na TAP" é o sinal de alerta para o que aí vem. Nesta sexta-feira, passam pelo Teatro Rivoli vários autarcas para debater "Os caminhos da recuperação económica em Portugal: hipóteses a Norte". A conferência do JN, promovida em parceria com a Câmara do Porto, tem início às 9,45 horas e pode ser seguida no site ou no Facebook do jornal. 


Rui Moreira começa por assinalar que esta "crise económica é inédita", porque não se sabe quando "estará debelada", mas que os impactos estão à vista, não só pela "quebra abrupta de rendimentos", como posteriormente pela "crise generalizada de liquidez", que implicará "uma alteração muito profunda nas cadeias de valor".

Para o autarca, mais do que olhar às medidas de emergência que, dentro em breve, estarão esgotadas, cumpre nesta fase "tomar medidas de outra índole, com um horizonte mais longínquo".

Por isso, apela à mobilização da Região Norte na procura "de uma estratégia adequada à sua condição, que deve determinar a alocação dos recursos escassos que serão disponibilizados pelo Estado e, fundamentalmente, pela União Europeia".

Os perigos estão à espreita, avisa. "Se não houver essa estratégia, esses recursos serão cobiçados por outros e alocados a prioridades que não são relevantes para a região". E Rui Moreira vai mais longe ao levantar a bandeira vermelha pelo "sinal dado com a intervenção na TAP", que deve servir de alerta para o que aí vem, afirma.

De modo a precaver-se, o Norte tem de usar os seus trunfos, assentes fundamentalmente em dois grandes ativos - a indústria e o turismo - considera o presidente da Câmara do Porto.

Se é certo que, tradicionalmente, esta é "uma região industrializada e com forte vertente exportadora", que manteve diversos setores em laboração no período mais crítico da pandemia, onde predominam as empresas de média dimensão, as designadas 'mid caps', também não deixa de ser verdade que, nos próximos tempos, a indústria vai sofrer com "as restrições físicas da procura, a retração do consumo e a disrupção das cadeias de consumo", reflete o autarca.

Por isso, aponta como solução urgente "alocar os recursos disponíveis para garantir o crescimento acelerado de outras empresas, o que exigirá um forte investimento na inovação tecnológica e na diversificação de produtos e de mercados-alvo", a única fórmula capaz de manter e gerar emprego.

Já do lado do turismo, Rui Moreira diz ser mandatório apostar "na diferenciação do produto" e apela que se entenda "a importância da segurança percecionada pelo turista potencial". De acordo com o edil, "Portugal tem andado mal nessa matéria, ao adiar medidas de prevenção sanitária nos aeroportos, e ao insistir em divulgar dados que os europeus desconsideram".

Ao nível das infraestruturas, Rui Moreira conclui que esta é uma oportunidade para que o investimento, que poderá ser proveniente de fundos europeus, "aposte na sustentabilidade ambiental, nomeadamente na área dos transportes, e na redução dos custos de contexto".


Programa conferência |Sexta-feira, 24 de julho

09,45 - 10 horas | Sessão de Abertura
Domingos de Andrade, Diretor do Jornal de Notícias

10 - 11 horas | A Dimensão Institucional: Ativos e Constrangimentos
Fernando Freire de Sousa, Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte

11,30 - 13 horas | A Dimensão Territorial: Contrastes e Desafios da Coesão
Presidentes ou representantes das oito entidades intermunicipais do Norte
Artur Nunes, Presidente da C. M. de Miranda do Douro, Trás-os-Montes*
Carlos Carvalho, Presidente da C. M. de Tabuaço, Douro
Eduardo Vítor Rodrigues, Presidente da C. M. de Vila Nova de Gaia, Área Metropolitana do Porto
Gonçalo Rocha, Presidente da C. M. de Castelo de Paiva, Tâmega e Sousa
José Maria Costa, Presidente da C. M. de Viana do Castelo, Alto Minho
Orlando Alves, Presidente da C.M de Montalegre, Alto Tâmega
Raul Cunha, Presidente da C. M. de Fafe, Ave*
Ricardo Rio, Presidente da C. M. de Braga, Cávado
Moderação de Rafael Barbosa, Chefe de Redação do Jornal de Notícias

14,15 - 15,15 horas | A Dimensão Política: Condicionantes e Transformação
Nuno Vaz, Presidente da C.M. de Chaves
Paulo Cunha, Presidente da C.M. de Famalicão
Víctor Hugo Salgado, Presidente da C.M. de Vizela
Moderação de António José Gouveia, Editor-chefe adjunto do Jornal de Notícias

15,15 - 17,15 horas | A Dimensão Estratégica: Lógicas Económicas e Sociedade
António Ponte, Diretor Regional de Cultura do Norte, Cultura
António Sousa Pereira, Reitor da Universidade do Porto, Ciência
Filipe Araújo, Vereador da Inovação e do Ambiente da C. M. Porto, Ambiente
Guilherme Costa, Economista, Empresas
Luís Pedro Martins, Presidente da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, Cultura
Moderação de Pedro Araújo, Editor de Economia do Jornal de Notícias

17,45 - 18,45 horas | Encerramento dos Trabalhos
Rui Moreira, Presidente da C.M. do Porto
Elisa Ferreira, Comissária Europeia

* a confirmar