Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Futebol e Atletismo em palco
17-11-2015

A primeira produção própria do Teatro Municipal do Porto, "Ícones do Desporto", estreou no último fim de semana e levou ao palco do Grande Auditório Manoel de Oliveira os medalhados Rosa Mota e Fernando Gomes, dois grandes símbolos do desporto nacional.


O espetáculo começou com o "O Nome da Rosa", onde Pedro Penim procurou olhar para o passado de Rosa Mota, sem recorrer a um modelo de biografia linear. O espetáculo evocou momentos-chave da carreira desportiva da atleta, como a vitória na Maratona Feminina de Atenas de 1982, um marco na história do atletismo mundial.


Em declarações aos jornalistas, no ensaio à imprensa, Rosa Mota recordou aquele momento da sua carreira, dizendo que sentiu que o público "cortou a meta" juntamente com ela. "Estiveram comigo no pódio, ouviram o hino, cantaram-no e aqui (Rivoli) também vai ser um momento muito especial", afirmou a atleta. Apesar de ter hesitado em aceitar um convite para estar em cima do palco, o entusiasmo do antigo vereador da Cultura da Câmara do Porto, Paulo Cunha e Silva, mentor do projeto, levou-a a aceitar.


Ainda com Rosa Mota em palco, entraram os atores do "Bibota Douro". Miguel Loureiro, acompanhado em palco pelas atrizes Ana Bustroff e Sara Graça, apresentou uma celebração da história de Fernando Gomes (Bibota D'Ouro pelo Futebol Clube do Porto, em 1983 e 1985), do seu percurso, das várias conquistas como jogador de futebol e da relação apaixonada com a sua cidade de sempre, o Porto.


Para o antigo futebolista representar não é a sua vocação. "Procurei, tal qual como quando jogava, dar o meu melhor e estou satisfeito, pois está a ser muito divertido".


Fernando Gomes fez questão de sublinhar que ele é apenas o rosto de uma equipa "dourada" do Futebol Clube do Porto, "uma equipa que ganhou tudo o que havia para ganhar em Portugal, na Europa e no Mundo".


   


Leia também: "O Porto não é uma nação... é mais..."