Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Residência académica na Baixa ajuda a preencher falhas de mercado
16-05-2017

São cinco pisos com 20 quartos duplos destinados a estudantes nacionais que venham estudar para o Porto, estudantes estrangeiros ao abrigo do programa Erasmus e a professores ou investigadores académicos. Inauguradas ontem, as Residências Galerias Misericórdia -The Gallery House estão instaladas num edifício de "Arte Nova", na Rua Galerias de Paris, reabilitado pela Misericórdia do Porto, no âmbito do programa de requalificação do seu património edificado, previsto para o quadriénio 2016-2020.


Presente na inauguração, o presidente da Câmara do Porto salientou "a necessidade de, com parceiros como a Santa Casa da Misericórdia, se conseguirem preencher as falhas do mercado".


"Ou seja, responder àquilo em que o mercado propriamente dito não consegue responder, e as residências estudantis são uma das preocupações que temos e que a Universidade tem vindo a salientar. Portanto, é muito importante que uma instituição como a Santa Casa da Misericórdia, que não olha apenas o mercado e não olha apenas ao lucro, mas que naturalmente também procura a sua sustentabilidade, consiga preencher esses espaços", acrescentou o autarca.


O ministro do Ambiente que esteve na cerimónia, explicou que tem uma ligação afetiva àquele edifício, dado já ter residido num quarto naquele espaço, quando em 1985 veio estudar para o Porto, defendeu a necessidade de "uma política pública que compense a política comum do mercado de reabilitação urbana" para garantir "o máximo de democraticidade" no acesso à habitação nos centros das cidades.


Segundo Matos Fernandes, "é esse trabalho, de completar a dinâmica de mercado, que cabe ao Governo, para garantir o máximo de democraticidade no acesso ao centro". "Os centros são por definição espaços de pluralidade, a monocultura nunca é boa, e é fundamental perceber e apoiar as dinâmicas de mercado que estão a reabilitar tão bem cidades, de que o Porto é um belíssimo exemplo", sublinhou.


Também o provedor da Santa Casa da Misericórdia do Porto, António Tavares, disse ser objetivo da instituição, enquanto maior senhorio privado da cidade, "tentar dar as respostas que o mercado não está muito vocacionado para dar", nomeadamente a públicos muito específicos, "desde estudantes, passando pelas pessoas com dificuldade de mobilidade, até à população sénior, dando respostas que sejam muito objetivas para aquilo que são as suas necessidades".


O novo equipamento dispõe de 40 camas, uma copa/cozinha, sala de refeições, sala de lazer ou estudo e uma receção. A residência é mista e os estudantes podem escolher os colegas de quarto, caso não existam outras candidaturas para o mesmo espaço.