Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Reabilitação do Cinema Batalha mais próxima com lançamento do concurso
16-04-2019

A Câmara do Porto, através da empresa municipal GO Porto, publica nesta terça-feira em Diário da República o concurso para a reabilitação do Cinema Batalha. O valor-base é de 4,6 milhões de euros e a submissão das propostas decorre em 21 dias, a partir da data de hoje.


O anúncio da "Empreitada de Obras Públicas de Reabilitação do Cinema Batalha" vem corporizar uma pretensão antiga do presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, no cumprimento do seu plano para a Cultura na cidade.

Em 2017, o Município assumiu a gestão deste equipamento cultural por 25 anos, com a intenção de realizar as obras de reabilitação, que são prementes. Contudo, no ano passado, o futuro do Batalha ficou em suspenso devido ao chumbo do Tribunal de Contas (TdC) à empresa municipal de Cultura, essencial para que este projeto se concretize.

O impasse, que ainda foi objeto de recurso por parte da autarquia, acabaria por ser resolvido em fevereiro deste ano, de outra forma. Estando a Câmara do Porto impossibilitada, por aquele organismo, de criar uma empresa autónoma, Rui Moreira contornou o obstáculo através da alteração dos estatutos da Porto Lazer, que passará também a assumir a gestão cultural municipal.

Inicialmente o orçamento para a requalificação do Cinema Batalha rondava os 2,5 milhões de euros, mas, já em 2018, o arquiteto Alexandre Alves Costa (que também está a trabalhar na reabilitação do liceu Alexandre Herculano) admitia que o edifício estava em pior estado do que aquele que imaginava, o que motivou à revisão em alta do valor estimado para a obra.

Projeto de requalificação contempla criação de novas salas

A intervenção no edifício, em que a vertente da arquitetura assume grande preponderância, contempla a reformulação e remodelação do Cinema Batalha, com trabalhos profundos ao nível da estrutura, da reabilitação das superfícies (pavimentos, paredes e tetos), das coberturas e elementos funcionais e da construção e instalação de novos equipamentos, acessos e redes.

A conhecida Sala Bebé dará lugar a uma sala polivalente com bar e outras valências sociais. Em substituição, será construída uma sala-estúdio na parte posterior do segundo balcão, com capacidade para cerca de 150 pessoas. A plateia deverá manter os 346 lugares e a tribuna contará com 222.

O projeto de arquitetura, a cargo do arquiteto Alexandre Alves Costa e do Atelier 15 Arquitectura, integra ainda uma segunda sala de projeção e o aproveitamento do terraço do edifício. Por forma a contemplar a acessibilidade a cidadãos com mobilidade reduzida, está prevista a instalação de um elevador e de acessos diversos neste âmbito.

De acordo com o anúncio lançado nesta terça-feira, dia 16 de abril, a fase de obra terá uma duração de 600 dias, ou seja, aproximadamente 20 meses.

Nestes termos, a empresa municipal GO Porto, entidade promotora, recebe as candidaturas ao concurso até às 17 horas do dia 6 de maio, em formato eletrónico, através da plataforma www.acingov.pt, onde poderão ser também consultadas as peças do concurso.