Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

As estrelas do Mundial
14-05-2016

Três construtores disputam o Campeonato do Mundo de Ralis e vão, por isso, estar oficialmente representados no WRC Vodafone Rally de Portugal que na próxima sexta-feira, dia 20, terá no Porto uma inédita dupla classificativa. Volkswagen, Ford e Hyundai inscrevem dois carros oficiais cada, a que se juntam outras cinco dezenas de competidores do Campeonato do Mundo e Campeonato Júnior, onde estão também representadas marcas como a Skoda, Peugeot, a Citroen, a Renault ou a Mitsubishi. A lista de participantes tem, contudo, mais de uma centena de inscritos, na qual se encontram também alguns portugueses.


O número um na estrada será o francês Sebastien Ogier, líder do campeonato, após as quatro primeiras provas. O tricampeão mundial que venceu o Rally de Portugal em 2013 e 2014. No ano passado, ano em que a prova regressou ao Norte do país, Ogier foi segundo classificado, atrás do seu companheiro de equipa na Volkswagen, o finlandês Jari-Matti Latvala. A marca campeã do mundo monopolizou, aliás, o pódio em 2015, já que Andreas Mikkelsen, da segunda equipa do construtor alemão, foi terceiro.


Além de Ogier e Latvala, são ainda "pilotos de fábrica" o neozelandês Hayden Paddon, e o espanhol Dani Sordo, pela Hyunday, e o norueguês Mads Ostberg e o francês Eric Camilli, ambos pela Ford.


Entre as principais estrelas da competição, destaque ainda para o Abu Dhabi Total World Rally Team, que utiliza os Citroen DS3, entregando o volante ao alemão Kris Meeke e ao francês Stéphane Lefebvre. Esta equipa comporta-se como a equipa de fábrica da Citroen, mesmo que não pontue para o mundial de construtores.


Entre os portugueses destaque para Miguel Campos, em Skoda (com o número 43) e Diogo Salvi, em Ford (com o número 44), ambos competindo na categoria WRC2.


O WRC Vodafone Rally de Portugal inicia-se na quinta-feira, tendo na Exponor, em Matosinhos, o seu centro nevrálgico. Nesse primeiro dia, realiza-se apenas o "Shakedown", em Paredes (uma espécie de teste para a competição) e a superespecial (prólogo) na pista de Lousada.


A competição na estrada começa na sexta-feira com a primeira etapa a disputar-se na zona de Ponte de Lima e Viana do Castelo, terminando em plena cidade do Porto, pelas 19 horas, com a primeira Street Stage jamais realizada no Porto, no âmbito do Mundial de Ralis. Note-se que, bem antes, desde as 12,45 horas, haverá animação no percurso da prova, com os treinos e também com uma prova de clássicos.


Sábado e domingo realizam-se a segunda e terceira etapa da prova que promete levar centenas de milhares de espectadores para as estradas do Norte e, também, às ruas do Porto. A classificativa do Porto é considerada a grande novidade deste ano e será transmitida em direto pela RTP e por cadeias de televisão de todo o mundo.


A Câmara do Porto e o ACP montaram um dispositivo que permitirá ao público assistir em segurança à competição quer de forma livre quer no conforto de bancadas pagas.




Saiba todos os pormenores e condicionamentos provocados pela competição AQUI.


A CP e a Metro do Porto possuem serviços especiais para transporte no dia da Porto Street Stage.