Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Quando ao dia é preciso juntar a noite para celebrar o Centro Histórico do Porto
25-03-2017

É verdade que a data se assinala penas esta terça-feira, 28 de março, mas no Porto, como em muitas cidades do país com centro histórico - e são já mais de uma centena -, a celebração do Dia Nacional dos Centros Históricos decorreu já este sábado, com um vastíssimo programa de atividades que levou milhares de pessoas a percorrer, e nalguns casos descobrir, a zona mais histórica do Porto.


O dia, é certo, até esteve muito pouco convidativo a passeios e a celebrações em espaço aberto, mas nem por isso o frenesim foi menor, com praticamente todas as visitas guiadas, tanto as que se realizar no exterior, como no interior dos muitos edifícios que se associaram a esta festa, a terem lotação esgotada.


Felizmente, não faltavam alternativas e quase todas próximas umas das outras. O difícil, por vezes, era mesmo escolher uma de entre tantas atividades que decorriam praticamente em simultâneo. Espreitava-se, às vezes entrava-se. Ou prosseguia-se o caminho, na certeza de que havia muito para ver e fazer ao longo do dia.


Passeios a pé pelo traçado da Muralha Fernandina, viagens teatrais pelo miolo do Centro Histórico, percursos encantados que contavam a História do Porto a crianças, concertos de música medieval junto aos Clérigos, espetáculos de novo circo no Miradouro da Sé, mercados urbanos, oficinas de pintura, mas também outras propostas mais curiosas, como a construção de duas muralhas, feitas com cordas de roupa e camisas brancas, que culminou numa performance colaborativa em pleno Terreiro da Sé.


O dia proporcionou, também, a visita a espaços menos conhecidos, e até inusitados, da Zona Histórica, com mais de três dezenas de entidades a associarem-se ao evento e abrirem as portas dos seus espaços para receberem os visitantes.


Entre igrejas, farmácias, mosteiros, teatros, palácios, museus, institutos e universidades, não faltaram convites para conhecer ou redescobrir algumas das singularidades que habitam e fazem parte da história do Porto.


Mas porque festejar o Dia Nacional dos Centros Históricos é, também, assinalar os 20 anos desde a classificação do Centro Histórico do Porto como Património Cultural da Humanidade, o projeto Alumia associou-se também a esta data, inaugurando um novo percurso de luz às novas instalações artísticas selecionadas a partir da Convocatória Aberta lançada em dezembro último.


Aqui, claro está, a sugestão é para um passeio guiado noturno, que parte do Largo dos Lóios, prossegue pela Cordoaria, passa pelo Passeio das Virtudes e só termina nas Escadarias da Vitória. As visitas guiadas, três por dia (às 19, 20,30 e 21,30 horas), decorrem até à próxima terça-feira, 28 de março. São gratuitas, mas requerem inscrição prévia através do email alumiaservicoeducativo@gmail.com.