Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

PSD e PS colocam-se ao lado de Rui Moreira na questão da TAP
23-02-2016

Rui Moreira recebeu hoje o apoio do PS e PSD na Câmara do Porto no diferendo sobre a TAP. O Presidente da Câmara diz que não o calarão e que não se importa de ser eleitoralmente prejudicado nem se impressiona com os ataques de que tem sido alvo, porque defender o Porto foi o que prometeu aos portuenses.


PS e PSD colocaram-se hoje ao lado de Rui Moreira nas suas posições acerca da operação da TAP no Aeroporto do Porto. Socialistas e Social Democratas votaram favoravelmente uma moção apresentada pelo PSD, que mereceu também o voto favorável dos independentes. Apenas a CDU votou contra, tendo apresentado a sua própria moção que, no essencial, também apoiava as posições que Rui Moreira tem assumido.



A moção aprovada e apresentada pelo PSD, por proposta de Manuel Pizarro, foi acrescentada de um ponto onde a autarquia requer ao Governo que "clarifique o que entende significar na prática a manutenção no Aeroporto Sá Carneiro de uma operação aeroportuária relevante por parte da TAP, no contexto das opções estratégicas desta companhia aérea".


Na sua intervenção, o presidente da Câmara lembrou que o recente comunicado da Autoridade Nacional de Aviação Civil (ANAC) dá razão à Câmara do Porto quando estabelece como sendo estratégica a operação.


O autarca explicou também aos vereadores que não revelará o teor da reunião que teve há pouco mais de uma semana com o presidente do Conselho de Administração da TAP, cumprindo a sua palavra, mas não deixou de dizer que, apesar de reconhecer boa-fé no seu interlocutor, o encontro não o sossegou sobre o futuro da companhia no Porto.


Sobre o encontro com António Costa, Rui Moreira diz que não saiu tranquilo da reunião que pediu com carácter de urgência ao Primeiro-Ministro. "O Governo tem a ideia de, com a reversão parcial da privatização, poder controlar melhor as opções estratégicas da TAP, nomeadamente, garantir algumas rotas estratégicas. Eu não consegui, ainda, entender como é que o Governo poderá fazê-lo sem o controlo da Comissão Executiva da empresa", afirmou.


Sobre toda a polémica, Rui Moreira deixou ainda claro que "o que me interessa são as opções estratégicas do Porto. É isso que me move", adiantando que "quanto aos interesses do Porto, preferia que a TAP fosse totalmente privada ou totalmente pública e que a situação fosse clara. Se a TAP for privada, poderemos lidar com ela como qualquer outra companhia. Mas, se for pública, o Porto não pode nunca, mas nunca cansar-se de lutar, de falar e até, se preciso for, de falar à moda do Porto", referiu.


Rui Moreira lembrou também que, em campanha eleitoral, "a candidatura do PSD chamava-se 'Porto Forte'. A candidatura do PS teve como primeiro slogan 'Dar voz ao Porto'. O PCP e o Bloco de Esquerda creio terem defendido a mesma ideia de um Porto que não se cala com as crónicas paternalistas de meia-dúzia de opinadores da capital", salientando, por isso, continuar a fazer o que prometeu, em nome do Porto, declarando não estar arrependido de ter iniciado esse luta, por mais que isso o prejudique eleitoralmente.


"Sempre que quiserem voltar a fazer uma maldade ao Porto, vão ouvir a minha voz", prometeu "nem que fique sozinho a falar e nem que com isso aborreça alguém", disse, concretizando "não me venham com a ideia de que levantei a voz por razões eleitoralistas. Creio que nesta sala todos sabemos que se efeito pode haver de uma luta destas é prejuízo para quem a assume".


Sobre supostos apoios dados pela Câmara do Porto a companhias aéreas, Rui Moreira desmentiu aquilo que apelidou de mentiras: "vou dizer bem devagar para que toda a gente entenda que é mentira. A Câmara do Porto não paga nem pagou a companhias aéreas".


Finalmente, Rui Moreira deixou uma imagem: "imaginem que me tinha saído o euromilhões e que tinha sido eu a comprar a TAP - que hoje tem um preço acessível a quem lhe sair o totoloto - e que eu decidia mudar os voos internacionais para o Porto e fazia uma ponte aérea para Lisboa, para que os passageiros de Lisboa pudessem ir para a Europa. Imaginem que os senhores eurodeputados de Lisboa tinham que vir ao Porto para ir para Bruxelas. Imaginem o que diriam as mesmas pessoas que agora não compreendem o que estamos a dizer", ironizou.


Ricardo Almeida e Ricardo Valente, vereadores do PSD, apoiam o presidente da Câmara na sua luta, com o segundo a referir que, mesmo que os voos do Porto dessem 8 milhões de euros de prejuízo, o que não está demonstrado, "isso seria apenas 5% dos prejuízos da TAP".


Manuel Pizarro, vereador do PS, disse estar integralmente de acordo com Rui Moreira e que, independentemente, qual seja o Governo, sempre o ouvirão ao lado das posições que defendem a região e a cidade.