Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Projeto revolucionário para antigo Matadouro de Campanhã apresentado hoje em Milão
14-04-2016

O presidente da Câmara do Porto encontra-se esta quinta-feira na 21.ª Trienal de Artes, Design e Arquitetura, a decorrer em Milão, Itália, para apresentar internacionalmente o projeto para o antigo Matadouro de Campanhã. Com Rui Moreira está também Manuel Pizarro, o vereador da Habitação e Ação Social, já que o projecto tem uma forte componente social.


A obra deverá ficar pronta a meio do próximo mandato, mas os concursos e procedimentos necessários para a sua concretização vão acontecer ainda no decorrer deste mandato de Rui Moreira. O custo estimado é na ordem dos 10 milhões de euros.


A adaptação do espaço irá permitir alocar 10 valências-chave, que assentam nos três eixos da governação da cidade propostos pelo independente Rui Moreira, por altura da campanha eleitoral: coesão social, economia e cultura.


O antigo Matadouro irá comportar uma "Área de Empresas Criativas e Tecnológicas" nacionais e internacionais; o "Museu da Indústria", com um pólo central e outro disseminado por vários espaços; uma valência dedicada à "Arte e Comunidade", coordenada por agentes multidisciplinares que desenvolvam práticas em áreas sociais e artísticas, em articulação com o tecido social de Campanhã. Terá, também, a valência de "Reserva de Arte Contemporânea", dando resposta a necessidades de espaço de reserva por parte de colecionadores e artistas do Porto; irá conter uma "Nave-multiusos" preparada para acolher diversos tipos de apresentações, desde conferências, cinema ou eventos sociais; um "Laboratório de Gastronomia", projeto que combinará uma dimensão exploratória da gastronomia atlântica com práticas de lazer e consumo.


O equipamento vai ainda incluir "Estúdios Média e Audioviosual" para produção e gravação nas áreas do cinema, rádio, televisão e música, com espaços para arrendamento comercial e outros vocacionados para projetos pedagógicos emergentes.Ourtra das valências alocadas será destinada às "Artes e Ofícios Tradicionais", que incluirá, por exemplo, locais de trabalho para encadernadores, estofadores, carpinteiros e outros artesãos. Terá, também, um "Pólo de Desporto", com uma área desportiva coberta composta por um campo multiusos e respetivas instalações de apoio e, a terminar, uma valência de "Residências Artísticas, com estúdios que incluem uma área de residência e de outra de apresentação pública destinadas a artistas nacionais e estrangeiros.


O projeto de arquitetura para a reconversão do antigo Matadouro Municipal do Porto é da responsabilidade da sociedade Garcia & Albuquerque, Arquitetos. A proposta apresenta particular cuidado na recuperação e manutenção de grande parte da construção original, que se encontra maioritariamente em estado de degradação, dotando-a, do modo mais subtil possível, de todas as infraestruturas necessárias para a implantação das valências acima descritas.


A filosofia de arquitetura tem por base a tentativa de preservação da imagem de caráter fortemente industrial que ainda hoje marca aquele conjunto arquitetónico. O desenho dos novos espaços necessários para dar resposta ao programa delineado, nomeadamente, os auditórios, acervos, galerias e escritórios, respeita a estrutura e métrica atualmente existentes no local.


Para diminuir o impacto paisagístico do edificado será alargada a mancha verde, com a plantação de novas árvores e a criação de um pequeno bosque.


Está contemplada uma passagem privilegiada e ligação ao Metro para servir visitantes, trabalhadores e a população residente na zona da Corujeira. A sul existirá um novo atravessamento pedonal entre a VCI e a linha de caminho-de-ferro, paralelo ao já existente, mas deficitário do ponto de vista das acessibilidades.


O antigo Matadouro Industrial de Campanhã encontra-se implantado num terreno com 29000 m2 e resulta de um projeto aprovado em 1910 pela Câmara do Porto, com entrada em funcionamento na plenitude em 1932 e desativado há mais de 20 anos.


Rui Moreira espera que o programa venha a ter um impacto muito significativo nos equilíbrios da cidade e na captação de muitas atenções para a freguesia mais oriental do Porto (Campanhã), com as áreas limítrofes a sofrerem um efeito de contágio positivo.


Refira-se também que este plano está a ser delineado desde o início do mandato deste executivo e muito impulsionado pelas ideias de Paulo Cunha e Silva, antigo vereador da Cultura, que morreu em novembro de 2015, sendo que o futuro deste espaço está ser trabalhado há mais de um ano por uma equipa multidisciplinar da autarquia liderada por Rui Moreira.




A apresentação do projeto do antigo Matadouro na 21ª Trienal de Artes, Design e Arquitetura de Milão é fruto de uma parceria com a ESAD - Escola Superior de Artes e Design. A iniciativa associa-se ao lançamento da publicação "Porto Before Porto", que explica o projeto de arquitetura, as principais linhas de programação para o equipamento, reunindo dois ensaios sobre a cidade, comissariados ao escritor Valter Hugo Mãe e ao curador João Laia.


A publicação acompanha a revista PLI Arte e Design, editada pela ESAD.


Note-se que a presença portuguesa nesta importante iniciativa internacional destaca-se por ser a única a envolver uma escola superior de design, por ter uma presença de arquitetura efémera autoconstruída no exterior e por apresentar uma programação disseminada, com eventos paralelos em espaços diversos, em Milão e em Portugal. Entre estes, destaca-se a apresentação que a Câmara do Porto fará para o projeto do antigo Matadouro, realizada hoje na Biblioteca del Progetto do Palazzo della Triennale.


O Pavilhão de Portugal na Trienal de Milão, que foi inaugurada a 2 de abril e se prolonga até 12 de setembro, tem este ano uma área de 225 m2, situa-se no Museu Nacional da Ciência e Tecnologia Leonardo da Vinci.


Consulte na íntegra o suplemento Porto Before Porto.