Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Projeto musical Hysteria com apoio do Criatório procura 15 participantes
03-01-2019
Hysteria, o projeto de programação que promove a interação entre público e artistas ligados à música, procura 15 participantes para integrarem um ciclo a decorrer entre março e outubro de 2019.

O projeto, que tem lançamento às 23 horas desta sexta-feira no Café au Lait, com o DJset de Chima Hiro e a instalação de Mariana Vilanova, é destinado a todos os interessados em produção, programação e performance musical, independentemente da área disciplinar dos participantes, não sendo porém necessário nenhum conhecimento técnico específico relacionado com a produção musical.

O open call para o programa, que não tem qualquer custo associado, está aberto até fevereiro próximo e as candidaturas são efetuadas através do envio de uma carta de motivação - com apresentação pessoal e razões para integrar o projeto - para o email ola@hysteria.pt. Os interessados devem também indicar a disponibilidade para participar no ciclo completo ou em momentos individuais.

O programa propõe quatro tempos de contacto, cada um coordenado por duas artistas em residência no Porto: #1 O Aparelho Fonador - conta com Ana Deus, vocalista e fundadora das bandas Três Tristes Tigres e Osso Vaidoso, e Heloise Tunstall-Behrens, compositora, vocalista e artista de instalação, em março; #2 A Técnica como Linguagem - com Marlene Ribeiro, baixista e multi-instrumentista, e Valentina Magaletti, baterista e percussionista, em maio; # 3 A Performance como Prática - com Natalie Sharp, vocalista e cantora-performer de Lone Taxidermist, e Marta Vuduvum, membro do coletivo Von Calhau ligada à música e arte visual, em julho; #4 O Quente da Electrónica - com Adriana Sá, artista transdisciplinar, performer e compositora, e Anna Holmer, vocalista, artista visual e performer, em outubro.

Hysteria resultou de uma proposta de Francisca Marques, mestre em Arquitetura pela FAUP e produtora de eventos relacionados com conteúdos arquitetónicos, que explora a conceção de espaços dedicados à performance, e foi um dos projetos selecionados em 2018 pelo programa municipal de apoio à criação artística Criatório.