Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Programa Porto Amigo beneficiou duas casas em Ramalde e Paranhos
02-04-2019
Somam-se duas casas ao conjunto de três dezenas de reabilitações efetuadas ao abrigo do programa municipal Porto Amigo, desta feita nas freguesias de Paranhos e Ramalde. O presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, visitou ambas as habitações nesta terça-feira.

A primeira paragem foi na Rua Particular de Francos, onde a comitiva foi recebida por uma munícipe de 62 anos que reside sozinha na habitação arrendada e está em situação de carência económica.

Acompanhado pelo vereador da Habitação e Coesão Social, Fernando Paulo, Manuela Mota, do Grupo Mota Engil, Rui Pedroto, da Fundação Manuel António da Mota, Ana Bravo, do G.A.S. Porto (Grupo de Ação Social do Porto), e Simão Oom, da Just a Change, Rui Moreira visitou depois a segunda beneficiária. Trata-se de uma senhora de 85 anos, que também vive sozinha e sem retaguarda familiar numa habitação da qual é proprietária, situada na Rua de Aval de Baixo, em Paranhos.

As duas intervenções envolveram, entre outros trabalhos, a reparação de telhados para resolver infiltrações, a reparação de paredes interiores e exteriores, a aplicação de pavimentos, a instalação de tetos, a melhoria de acessos e a reparação do sistema elétrico.

O programa Porto Amigo é desenvolvido pela Câmara do Porto em parceria com aquelas instituições e tem como grandes objetivos viabilizar a realização de obras de reconstrução, reabilitação, decoração e melhoria dos níveis de mobilidade e de salubridade em casas de pessoas que se encontrem em situação de comprovada carência económica. Os beneficiários são munícipes com mais de 60 anos de idade ou que integram no seu agregado familiar elementos com grau de incapacidade igual ou superior a 60%.

Desde 2009 que este programa tem ajudado a aumentar o bem-estar emocional, físico e socioeconómico dos favorecidos. As intervenções permitem aos munícipes, para além da melhoria nas condições das habitações, manterem-se no seu meio social, reforçando o sentimento de pertença ao território onde vivem.