Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Programa InResidence atribui bolsas a oito projetos de residência artística
22-04-2020

A edição 2020 do Programa InResidence vai atribuir bolsas de residência artística de duração igual ou superior a dois meses, a oito espaços da cidade. Conheça-os. 


À Circolando, Escola das Artes da Universidade Católica, mala voadora, Maus Hábitos, Rua do Sol e Sonoscopia - instituições que já acolheram residências no âmbito deste programa noutras edições - juntam-se as estreantes A Turma e o Instituto na atribuição destes apoios para a realização de residências com artistas que atuam em várias áreas.

A mala voadora acolhe a artista neozelandesa Julia Croft, criadora de performances nas áreas do teatro e dança, para a quarta residência desta companhia de teatro apoiada pelo projeto municipal InResidence. A residência culminará no espetáculo "TERRAPOLIS".

Em setembro, terão início cinco das oito residências. A Turma, sedeada na Fundação José Rodrigues, irá receber Nina Amat, criadora de projetos audiovisuais interdisciplinares, para construir "INTERIORS", um projeto de pesquisa e de proximidade com alguns moradores do Porto. Na Escola das Artes, o artista, curador e cineasta Ben Russell irá desenvolver o projeto "The Invisible Mountain", que parte de uma lógica de aproximação a diversos objetos artísticos, envolvendo diferentes artistas e performers, e que culminará na exposição "A Montanha Invisível" na UCP - Universidade Católica do Porto.

Nelsa Guambe, artista autodidata que usa a arte visual como uma forma de estimular o pensamento crítico, irá criar um conjunto de diálogos com artistas locais e demais intervenientes da programação cultural do Instituto.

Alexandre Vogler, cuja prática artística tem incidido em trabalhos em contexto público e sistemas de comunicação, e Ronald Duarte, que tem participado em exposições e eventos culturais no Brasil e a nível internacional, irão desenvolver no Maus Hábitos o projeto de residência "Ateliê Encantado", que tem como princípio a criação de um laboratório que concentre a pesquisa de elementos encantados.

A Rua do Sol receberá a artista visual e investigadora Cinthia Mendonça, que trabalha sobre a estética do universo rural pós-industrial, na relação entre pessoas e objetos técnicos e em temas como o animismo e resiliência, a memória e o imaginário ambiental da atualidade.

Em outubro, iniciam-se as residências da Circolando, com Alejandro Ahmed, e da Sonoscopia, com Ignaz Schick. Ahmed, coreógrafo e diretor artístico do Cena 11 Cia. de Dança (Santa Catarina - Brasil), estará a desenvolver o projeto "Condução Óssea" sobre transdução e alteridade, pautada pela investigação da relação física/digital entre condutores tácteis, microfones de contacto, voz, luz, palavra e movimentos. A Schick, um dos músicos mais relevantes no panorama da música experimental berlinense, será proposta uma aproximação às vanguardas musicais portuenses, sugerindo várias ligações a diferentes agentes de alguns polos agregadores das músicas improvisadas e experimentais, mas também do jazz e da música de tradição clássica.

O programa InResidence atribui bolsas destinadas à realização de projetos de residência artística em espaços culturais não municipais, com valores de financiamento que variam entre os 4 e os 6 mil euros.

Até à data já foram apoiados dezassete residências artísticas. Todas as informações referentes ao programa e projetos apoiados podem ser consultadas na plataforma Pláka.