Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Programa empreendedor para ideias de design e música em segunda edição
18-08-2017

A Porto Design Factory, plataforma criativa e educativa do Politécnico do Porto (P.Porto), abriu as candidaturas para a segunda edição de dois programas que visam apoiar projetos, em fase embrionária, nas áreas do design e da música.

 

O Porto Design Accelerator, um programa desenvolvido pela Porto Design Factory, com o apoio da câmara do Porto e do Polo das Tecnologias de Informação, Comunicação e Eletrónica (TICE.pt), de Aveiro, pretende auxiliar cinco projetos de design a criar a sua própria startup (empresa de base tecnológica em fase de desenvolvimento).

 

"Este é o primeiro programa de aceleração de ideias de negócio centradas na moda, no mobiliário, nos materiais novos e tradicionais (como a cerâmica e a cortiça), nas tecnologias de saúde e na metalomecânica", disse à Lusa o coordenador da Porto Design Factory, Rui Coutinho.

 

Segundo indicou, cada um dos cinco projetos selecionados tem um programa estruturado, feito à sua medida, com a duração de seis meses, que se destina a transformar a ideia num produto, com um modelo de negócio escalável e replicável.

 

O apoio aos empreendedores é conseguido através da ligação a ecossistemas, mentores, "experts" e parceiros industriais, ou seja, elementos importantes na transformação de ideias em negócios inovadores.

 

Na primeira edição deste programa foram apoiados projetos das áreas de calçado, tecnologias da saúde, joalharia, novos materiais e equipamentos relacionados com a agro-indústria a nível doméstico.

 

Em parceria com a Casa da Música e a Antena 3, a Porto Design Factory lançou também o Beta Sound System (BSS), outro programa pioneiro, focado em acelerar cinco novas ideias, apoiando startups da indústria da música.

 

O objetivo do BSS é auxiliar projetos "que busquem novos talentos musicais, na proteção de direitos de autor, novas formas de comercialização e divulgação da música, bem como estratégias de agenciamento e gestão de carreira", contou Rui Coutinho.

 

Esse auxílio surge através da ligação com os principais "stakeholders" (parceiros) nacionais e internacionais da música, mentores, peritos e recursos de prototipagem necessários para alavancar estes projetos, acrescentou o coordenador.

 

Ao longo das diferentes fases dos projetos, as startups vão trabalhar, em permanência, na Porto Design Factory.

 

A primeira edição dos dois programas finaliza em setembro, estando as candidaturas para a segunda edição abertas até 30 de agosto.