Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Presidente da República cumpre tradição com "presença obrigatória" na Feira do Livro do Porto
06-09-2019
Marcelo Rebelo de Sousa fez hoje, como sempre, questão de visitar a Feira do Livro do Porto no dia da sua abertura, prometendo fidelidade e até aproximação de Belém ao festival literário da cidade "que é cada vez melhor". E, no que também é já sua tradição, comprou livros. Muitos livros, como sempre.

O Chefe de Estado, que passou mais de duas horas nos Jardins do Palácio de Cristal, foi recebido no portão da entrada pelos presidentes da Câmara, Rui Moreira, e da Assembleia Municipal, Miguel Pereira Leite, bem como vereadores e o comissário da Feira do Livro deste ano, o escritor Nuno Artur Silva, mostrando desde logo grande carinho pelo certame portuense que, desta vez, tem como homenageado o ensaísta Eduardo Lourenço.

Mas, antes ainda de chegar à Avenida das Tílias, onde estão os pavilhões de expositores e onde será descerrada a placa que atribui uma tília a Eduardo Lourenço, às 17 horas deste sábado, o Presidente da República inaugurou informalmente o Jardim Émile David, que embeleza a entrada no recinto e que acaba de ser profundamente reabilitado. Marcelo Rebelo de Sousa ouviu detalhadas explicações deste ex-libris verde da cidade pela voz de Teresa Portela Marques, a arquiteta paisagista que conduziu a operação e que, aliás, é coautora de um livro publicado pelo Município do Porto sobre os "Jardins do Palácio de Cristal"

A comitiva atravessou depois a Avenida das Tílias e entrou no edifício da Galeria Municipal do Porto e Biblioteca Municipal Almeida Garrett, onde o escritor e ilustrador António Jorge Gonçalves fez uma visita guiada à exposição das suas ilustrações que hoje mesmo foi ali inaugurada.

Sempre interrompido por populares e turistas para os habituais beijinhos a acompanhar as selfies, o Presidente da República, que detetou entre a multidão e foi abraçar efusivamente o jornalista, escritor e historiador Germano Silva, iniciou então o périplo pelos 130 pavilhões da Feira do Livro. E foi no espaço da AJHLP - Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto que se estreou nas compras com uma edição particularmente embelezada de "A Mãe", de Máximo Gorki.


Por entre o folhear de livros, comprar mais uns quantos e cumprimentar os escritores que tinham sessões de autógrafos durante este dia, Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de declarar o seu gosto pela Feira do Livro do Porto que, aliás, o fez lançar com Rui Moreira as bases para uma aproximação entre o Porto e o Palácio de Belém onde, há pouco dias, decorreu a Festa do Livro.

O Presidente da República manifestou grande admiração pelo certame, cuja "programação é cada vez melhor", destacando a particularidade de, nesta edição, ser homenageado "um grande, grande português" - Eduardo Lourenço - e aproveitou para lançar um apelo geral à leitura. "É fundamental que se leia".

A Feira do Livro do Porto, patente até 22 de setembro, inclui uma vasta programação cultural, educativa e de animação, decorrendo diariamente uma série de debates, sessões de spoken word, exposição, lições, cinema e outros eventos, incluindo oficinas e ações para a infância e para toda a família, bem como performances e concertos. Tudo de acesso livre.

Saiba mais no site oficial da Feira e acompanhe as novidades na página do Facebook. Pode ainda consultar o Jornal da Feira do Livro do Porto na plataforma Issuu ou mesmo descarregá-lo em versão pdf.