Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Portugueses do mundo estão reunidos no Porto para o primeiro congresso de Redes da Diáspora
13-07-2019

O I Congresso Mundial de Redes da Diáspora Portuguesa arrancou na manhã deste sábado no Porto. A cidade foi a escolhida para ser anfitriã da iniciativa e para o vice-presidente da Câmara do Porto, Filipe Araújo, que participou na sessão de abertura do congresso, a razão é óbvia: "o Porto tem uma marca histórica de porto de partida e de chegada".


Diversos protagonistas portugueses e luso-descendentes, particularmente ativos nas comunidades dos países de acolhimento e nas comunidades de origem, convergem para a cidade do Porto neste fim de semana.

Os trabalhos iniciaram hoje de manhã no Auditório da Ordem dos Contabilistas Certificados, localizado próximo da Sé do Porto, e contaram com a participação do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do Primeiro-Ministro, António Costa, do Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, do Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, do Vice-Presidente da Câmara do Porto, Filipe Araújo (em representação do Presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira), e ainda da Bastonária da Ordem dos Contabilistas Certificados, Paula Franco.

Na sessão de abertura do congresso, Filipe Araújo destacou o contributo da cidade enquanto "porto de partida da diáspora", com registo de fluxos de emigrantes desde o século XIX para o Brasil. Hoje, a influência lusa estende-se aos cinco continentes e também a vários setores de atividades, tendo neste âmbito o autarca sublinhado o "papel de investigadores e empreendedores, que deixam uma marca indelével nas sociedades onde se inserem".

Para o vice-presidente da Câmara do Porto, que recordou que o Município "desde a primeira hora se associou à Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas e com ela colaborou nesta organização", fica também evidente a importância do tema para a cidade e para o país, nas suas mais diversas áreas: "desde o associativismo à ciência e conhecimento, passando pela economia e desenvolvimento, cidadania e comunicação social".



A todos os congressistas, Filipe Araújo convidou a descobrir a cidade e a desfrutar da sua "programação cultural vastíssima". Dessa mesma vivência, será possível aos participantes perceber como o Porto se tem modernizado e "investido na renovação urbana", e ainda percecionar os progressos que têm sido feitos ao nível "da promoção e expansão dos espaços verdes, na aposta em soluções de base natural, na produção de energia solar, na descarbonização das frotas de transporte, na promoção da mobilidade sustentável", entre outros aspetos destacados na intervenção do também vereador do Ambiente e Inovação.

Congresso quer aproximar e interligar redes da diáspora portuguesa

Segundo o Presidente da República, que falava já ao final desta manhã, o congresso configura uma grande oportunidade para colocar a diáspora como "prioridade global" dos residentes em território nacional, porque a presença dos portugueses "no mundo" é uma das razões pelas quais eles "são muito bons".

Por seu turno, para o Ministro dos Negócios Estrangeiros, que interveio na sessão de abertura, a iniciativa procura dar resposta "quatro questões fundamentais": na adaptação que deve ser feita considerando a mudança da emigração portuguesa; no tipo de serviços governamentais prestados; no que concerne à consolidação e ligação entre as comunidades portuguesa; e ainda no estímulo das redes de contacto, salientou Augusto Santos Silva.

Já o Primeiro-Ministro defendeu que a aproximação às redes da diáspora portuguesa é "de extrema importância", considerando que há cerca de 5,6 milhões de portugueses e luso-descendentes dispersos por 176 países do mundo. 

Seguindo as palavras de Filipe Araújo, também António Costa convidou os congressistas a "vivenciar pessoalmente a cidade do Porto", que no contexto atual tem tido "uma maior visibilidade e dimensão", frisou.

O I Congresso Mundial de Redes da Diáspora Portuguesa, subordinado ao tema "Por uma visão estratégica partilhada, é organizado pela Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas e pela Direcção-Geral dos Assuntos Consulares e das Comunidades Portuguesas e conta com o apoio da Câmara do Porto e da Ordem dos Contabilistas Certificados.

Neste sábado, o jantar oficial do Congresso decorre na Alfândega e é oferecido pelo Município do Porto.