Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Porto vai ter 200 carros elétricos para partilhar mas Câmara já aposta em emissões zero na sua frota
05-06-2017

O Porto vai ter 200 carros elétricos para partilhar até ao final do próximo ano. O Nissan Leaf, o veículo elétrico mais vendido em Portugal em 2016, fará parte da frota elétrica da Citydrive, empresa que implementará o serviço. A Citydrive vai investir um milhão de euros no Porto e em Lisboa, colocado o mesmo número de veículos em cada uma das cidades.


Os automóveis sem emissões vão chegar em duas fases: já a partir deste mês na capital e a partir de setembro na invicta, mas o responsável de marketing, Nuno Cepêda, citado pelo jornal Dinheiro Vivo, diz que o objetivo é mais ambicioso: "Queremos ser 100% verdes e ter apenas carros elétricos até final de 2018". Para já, os Nissan Leaf vão ser a primeira escolha. Serão carregados nos pontos de já espalhados pelas cidades.


Para o Porto ainda não há limites de circulação definidos, mas a aposta elétrica da Citydrive também vai estender-se às motos. Está prevista para setembro a chegada das scooters elétricas a Lisboa e ao Porto e, sem adiantar preços, Nuno Cepêda promete uma "oferta competitiva".


CÂMARA DO PORTO TAMBÉM APOSTA NA MOBILIDADE ELÉTRICA


O Porto está a tornar-se numa cidade que aposta na mobilidade elétrica. Além da instalação de mais pontos de carregamento e carregamento rápido na cidade, serviço agora concessionado pelo Estado, a Câmara do Porto está a substituir os seus veículos a gasóleo por carros eléctricos. Parte dos seus carros já é elétrica e a própria Polícia Municipal usa já os Nissan Leaf como um dos seus veículos no dia-a-dia.


Apesar do aumento substancial do número de veículos para a polícia municipal, a Câmara do Porto vai poupar quase 600 mil euros por ano em combustível, graças à substituição da sua frota. A solução, além da poupança de mais de dois milhões de euros em quatro anos, permitirá uma redução estimada de emissões de dióxido de carbono na ordem das 2,3 mil toneladas, no prazo de vigência do contrato.


Em causa está a aquisição de 390 veículos, 241 dos quais destinados ao município e os restantes às empresas municipais de águas, de habitação, gestão de obras públicas, ambiente e lazer. Os veículos substituirão os atuais, em fim de contrato de locação, em áreas como limpeza urbana, obras municipais, policiamento, transporte de funcionários, etc.


O Porto lidera, aliás, a maior candidatura apresentada para financiar esta substituição, como revelou o Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes.


STCP ADQUIRE FROTA ECOLÓGICA


Também a STCP aposta na renovação da frota e na mobilidade livre de emissões. Na verdade, é um novo tempo para a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto, que já lançou o concurso público internacional para a aquisição de 188 novos autocarros, dos quais 173 movidos a gás e 15 elétricos. O anúncio da compra - um investimento de 46,7 milhões de euros - foi acompanhado pela apresentação de resultados bastante positivos: no primeiro trimestre deste ano, a STCP aumentou em 9,4 por cento o número de passageiros, invertendo a tendência de perda de clientes verificada nos últimos anos.



Esta renovação da frota surge já no âmbito do acordo com o Governo que estabelece a transferência da gestão da STCP para os seus seis municípios, sob a presidência do Porto. A descentralização da condução de uma sociedade que serve os propósitos de transporte e os cidadãos do Grande Porto (engloba os concelhos de Matosinhos, VN Gaia, Maia, Valongo e Gondomar) aguarda apenas o visto do Tribunal de Contas. Um autocarro elétrico circula já, em teste, na cidade.