Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Porto vai celebrar o verão com música ao ar livre nos Jardins do Palácio
22-07-2020

O ciclo de concertos "Noites do Palácio" vai começar no dia 31 de julho e termina a 22 de agosto. Ao longo de quatro fins-de-semana, alguns dos nomes mais sonantes da música nacional vão passar pelos Jardins do Palácio de Cristal. Os bilhetes, com preço único de 10 euros, estão à venda online.


Será uma celebração do verão, com concertos às sextas e sábados sempre a partir das 21 horas, que começa a 31 de julho. O arranque ficará a cargo de António Zambujo (31 de julho), seguindo-se The Black Mamba (1 de agosto); HMB (7 de agosto); Gisela João (8 de agosto); Jorge Palma (14 de agosto); Diogo Piçarra (15 de agosto); Blind Zero (21 de agosto) e Rui Veloso (22 de agosto). O recinto, que será montado na Praça do Rossio, em frente ao Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota, terá uma lotação de 650 lugares.

Para garantir a segurança de todos, cada espetáculo foi preparado de modo a cumprir as normas e recomendações da Direção Geral de Saúde para eventos ao ar livre. Num espaço delimitado para o efeito, todos os lugares estarão identificados, cumprindo o distanciamento mínimo obrigatório entre os espetadores que não façam parte do mesmo agregado. Para evitar qualquer tipo de congestionamento, todas as entradas e saídas terão circuitos próprios com a devida sinalização.

"Será o retomar da nossa atividade na área de entretenimento e o primeiro grande evento organizado na cidade após esta nova fase de desconfinamento", congratulou-se o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, na apresentação do evento onde também esteve presente a vereadora da Juventude e Desporto, Catarina Araújo.

A realização das "Noites do Palácio" significará um investimento municipal de 200 mil euros para fazer face às despesas "ao nível do plano de segurança, aos meios técnicos e logísticos e à necessária contratação dos artistas", explicou ainda o autarca, deixando clara a razão para esta postura proativa: "Desistimos de esperar por qualquer tipo de apoio prometido pelo Ministério da Cultura, que foi muito lesto a anunciar a sua intenção de apoiar os Municípios na realização de espetáculos musicais, mas demasiado lento em explicar quais as regras para se aceder a esta suposta linha de apoio no valor de 30 milhões de euros".



O evento surge da colaboração entre o Município e os representantes do setor cultural. "Poderíamos fazê-lo internamente, através da Ágora, que tem muita experiência em organizar grandes concertos na cidade", notou Rui Moreira. Mas o objetivo foi também "dar um sinal importante ao tecido cultural nacional, particularmente ao da área do entretenimento", confessou o presidente da Câmara do Porto. Por isso, oito entidades foram convidadas a apresentar propostas, como forma de "dar um novo alento e novas oportunidades de trabalho às várias empresas que operam neste setor de atividade, tão duramente afetado por esta pandemia".

De resto, a localização do evento é simbólica nesse aspeto. "Vai realizar-se precisamente ao lado daquele que foi o nosso Hospital de Campanha durante a fase mais crítica desta pandemia. Como é sabido, o Hospital que funcionou durante mais de um mês no Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota foi já praticamente desmantelado. Espero, sinceramente, que não seja preciso reativá-lo no futuro, e que esta grande sala da cidade possa em breve reabrir as suas portas e retomar a sua atividade original", frisou Rui Moreira.

As "Noites do Palácio" serão levadas a cabo por duas das maiores produtoras nacionais, a PEV Entertainment e a Everything is New, que felicitaram o Município pela iniciativa. "Quero agradecer à Câmara do Porto e ao presidente por este rasgo, que é uma luz ao fundo do túnel para a música. Estamos todos preocupados, mas temos a obrigação de mostrar que em segurança também se podem fazer coisas. Orgulha-me por ser do Porto", confessou o fundador e CEO da PEV Entertainment, Jorge Lopes.

"Parabéns ao presidente pela coragem, e pelo apoio a um sector que, apesar do desconfinamento, continua confinado. Vai ser um evento muito importante para dinamizar o turismo interno. Fica o convite, a todos os portugueses, para virem ao Porto, visitarem a cidade, e à noite estarem nas Noites do Palácio", disse o fundador e diretor geral da Everything is New, Álvaro Covões, esperando que "outras autarquias aproveitem a oportunidade para replicarem o que a Câmara do Porto fez".

"Atitude diferenciadora"

Um dos artistas que vai atuar nos Jardins do Palácio de Cristal é Miguel Guedes, vocalista dos Blind Zero, que enalteceu a "vontade de fazer diferente" do Município. "É uma atitude diferenciadora da Câmara do Porto. Há músicos, artistas, bailarinos, atores, no limite da sobrevivência, e esta é uma belíssima reflexão sobre o que deve ser feito, com toda a segurança e com toda a capacidade para fazer bem. Com um cartaz que me parece bonito, e que nos devolve à vida", elogiou o músico portuense.

"Este evento tem muita importância para a arte e para a música. É uma afirmação importante da parte do presidente da Câmara do Porto, para dar um pontapé nesta crise que tem sido catastrófica para nós. É bom que se vão replicando estas iniciativas pelo país", corroborou o vocalista dos The Black Mamba, Pedro Tatanka, confiante na adesão do público: "É importante que as pessoas ganhem confiança, porque durante muito tempo as coisas vão ter de ser organizadas desta forma, com distanciamento e proteção".

Cartaz "Noites do Palácio"
31 de julho - António Zambujo
1 de agosto - The Black Mamba
7 de agosto - HMB
8 de agosto - Gisela João
14 de agosto - Jorge Palma
15 de agosto - Diogo Piçarra
21 de agosto - Blind Zero
22 de agosto - Rui Veloso