Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Porto tem instalado "unicórnio" avaliado em 3 mil milhões de dólares
23-07-2020

A startup Talkdesk, presente na cidade do Porto desde 2017, passa agora a valer no mundo empresarial 3 mil milhões de dólares, reforçando o seu estatuto de unicórnio português. O número, bem redondo, surge na sequência uma nova ronda de investimento, que garantiu o encaixe de mais 143 milhões de dólares.


A soma final do valor atual da startup fundada por Tiago Paiva e Cristina Fonseca, que há muito deixou de ser startup, para escalar mundialmente, parte da conceituada agência Bloomberg e resulta, em parte, de uma nova aposta dos investidores habituais Viking Global Investors e a Threshold Ventures. Isto porque nestes 143 milhões de dólares (cerca de 123 milhões de euros) participam ainda novos nomes, designadamente Franklin Templeton, Willoughby Capital, Skip Capital, Lead Edge Capital e Top Tier Capital Partners, avança o Observador.

Fundada em 2011, a Talkdesk precisou apenas de sete anos para alcançar o estatuto de unicórnio (empresa avaliada em mais de mil milhões de dólares), em outubro de 2018. Um ano antes, chegou à cidade do Porto, onde abriu um centro de desenvolvimento com enfoque na conceção e venda de software para call centers em escritórios.

E, mesmo com uma forte apetência no mercado externo - não estivesse ela sediada na cidade-meca para os investidores, a apetecível São Francisco - a Talkdesk continuou a ver o Porto como ponto estratégico para a expansão do negócio, fornecedor também de talento e de recursos humanos altamente especializados.

Na freguesia do Bonfim encontrou o espaço necessário para apostar em novas instalações, com capacidade para acolher mais de 250 quadros especializados, que foram visitadas por Rui Moreira na inauguração, em maio de 2019.

Estes novos dígitos agora alcançados já mereceram da parte do CEO da empresa, Tiago Paiva, algumas declarações, reproduzidas pela Bloomberg. "O objetivo é continuar a investir em investigação e desenvolvimento, e a expandir a base de dados de clientes [das empresas que pertencem à] Fortune 1000".

De acordo com a mesma fonte, a startup que atua na área dos contact centers está com um "crescimento acelerado e as receitas do trimestre que acabou a 30 de abril duplicam as obtidas um ano antes".