Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Porto recordou a Revolta de 31 de Janeiro de 1891
31-01-2017

O Cemitério do Prado Repouso foi o palco escolhido para assinalar mais um aniversário da Revolta de 31 de Janeiro de 1891, que teve lugar na cidade do Porto há 126 anos.

Foi o primeiro movimento revolucionário que teve por objetivo a implantação do regime republicano em Portugal, que se viria a efetivar quase duas décadas mais tarde, em 5 de Outubro de 1910.

O ato comemorativo começou com um cortejo que terminou junto do monumento evocativo aos heróis do 31 de Janeiro de 1891, onde simbolicamente foram depositadas coroas de flores. Seguiu-se o içar da bandeira, ao som do Hino Nacional.

Como recordou a Comissão Organizadora, este é um dia para honrar a memória dos heróis do passado, que são também fonte de inspiração para o presente.

"O Porto foi e continua a ser libertador, apontando novos rumos", vincou Luís Cameirão, presidente da Associação Cívica e Cultural 31 de janeiro.



    
Na cerimónia, Rui Moreira lembrou as promessas que ficaram por cumprir, nomeadamente, ao nível da descentralização. "Com essas competências, hoje teríamos mais capacidade para decidir os nossos destinos. Portugal precisa de cumprir as suas promessas", frisou o autarca.
   
Associaram-se às atividades comemorativas do "31 de Janeiro de 1891" os representantes da Associação Nacional dos Sargentos, Associação 25 de Abril, o presidente da Junta de Freguesia do Bonfim, assim como familiares e outras individualidades.

Eminentemente popular, o movimento de há 126 anos foi recordado por todos como "um motivo de orgulho, coragem e determinação. Uma revolta do Porto, capital da liberdade."