Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Porto moderno e virado para o futuro
26-10-2015

Já arrancou a III edição da Semana da Reabilitação Urbana do Porto, um evento que durante uma semana conta com mais de 100 oradores focados no debate sobre a reabilitação urbana.

 

O Ateneu Comercial do Porto voltou a ser o palco escolhido para receber esta iniciativa que se estreou no Porto em 2013. A partir de hoje e até ao dia 31 deste mês, este ciclo de conferências irá trazer à discussão temáticas como as políticas públicas, financiamento, investimento e soluções técnicas inovadoras para a área da reabilitação urbana.

 

A edição deste ano reúne mais de uma centena de oradores provenientes das esferas política, técnica e empresarial, num conjunto de eventos dirigidos, não só a especialistas da área, mas também ao público em geral, incluindo crianças e jovens.

 

A sessão de abertura que se realizou hoje contou com a presença de Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, Vítor Reis, presidente do Conselho Diretivo do IHRU, Manuel Reis Campos, presidente da AICCOPN, Abel Mascarenhas, presidente da Comissão Executiva do IFRRU 2020 e Álvaro Santos, presidente da Porto Vivo, SRU.

 

No seu discurso, Rui Moreira aplaudiu esta iniciativa e voltou a salientar a importância da reabilitação urbana como "parte integrante de qualquer política de cidade que seja moderna e virada para o futuro", um projeto "para toda a urbe, transversal, geográfico e funcional" e não apenas circunscrito ao Centro Histórico, onde se iniciou. O autarca relembrou o memorando de 2014 entre o Estado Central e o Município do Porto como "exemplar" no que se refere à fixação de um novo regime e um novo modelo para a Porto Vivo, SRU, com financiamento garantido, pelo menos, durante cinco anos e com responsabilidades iguais repartidas entre os dois accionistas.

 

Moreira terminou dizendo que os melhoramentos no espaço público irão continuar e salientou que não deixará cair projetos como o Bolhão, o Pavilhão Rosa Mota e a construção do terminal intermodal em Campanhã.

 

Nesta sessão de abertura foi, ainda, assinado um protocolo de promoção da cidade entre o autarca Rui Moreira e Henrique Barros, presidente da APPII (Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários).

 

A primeira conferência deste ciclo debateu o tema "O Porto e um novo ciclo na reabilitação urbana", numa altura em que o Porto lidera, desde há mais de 10 anos, as políticas públicas de reabilitação urbana. Com o Portugal 2020 e a lógica do fundo perdido a substituir-se pelo empréstimo reembolsável, torna-se fundamental discutir a sustentabilidade nesta área.


Para hoje, estava também marcada a apresentação do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana 2016, que contou com uma mesa de debate composta por premiados das edições anteriores. Em exposição, estão, também, os projetos do Prémio Nacional de Reabilitação Urbana 2015.


No último dia da iniciativa, sábado, 31 de outubro, irá realizar-se um workshop de arquitetura para os mais novos, onde será construída uma maquete do Morro da Sé.

 

A Semana da Reabilitação Urbana é uma organização da Vida Imobiliária e da Promevi, e conta com o apoio da Câmara do Porto e da Porto Vivo, SRU.