Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Porto e Galiza unidas porque "o mundo é coisa que nunca nos assustou"
18-04-2017
Porto e Galiza, terras de oportunidade, competitivas e ousadas, "um território de eleição" para atrair investimento, "porque o mundo nunca nos assustou" - estas foram ideias chave partilhadas hoje de manhã pelo presidente da Câmara do Porto, na sessão de boas-vindas ao presidente da Xunta de Galicia (Espanha), nos Paços do Concelho. Na ocasião, Alberto Nuñez Feijóo recebeu das mãos de Rui Moreira a Medalha Municipal de Honra da Cidade.


Alberto Nuñez Feijóo foi agraciado com a mais alta distinção municipal "pelo seu contributo para o relacionamento entre o Norte de Portugal e a Galiza", numa proposta que reuniu a unanimidade de todas as forças políticas municipais e que será ratificada amanhã em reunião do executivo camarário.


No seu discurso, o presidente da Câmara do Porto salientou a importância do Noroeste da Península Ibérica enquanto eurorregião e na cooperação histórica entre ambos os territórios, relações que hoje se manifestam em áreas como a economia, turismo, empreendedorismo, design, inovação, ciência e investigação. " A nossa eurorregião é um exemplo de cooperação transfronteiriça", afirmou.


Rui Moreira espera ainda que, no futuro, e com a alteração orgânica que está prevista para as Comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regionais (CCDR's) seja possível aprofundar ainda mais a ligação entre ambos os territórios, cujos modelos administrativos atuais "não facilitam esse aprofundamento".


Por sua vez, o presidente da Xunta de Galicia destacou a "irmandade permanente" entre a Galiza e o Norte de Portugal, em que para os galegos o Porto é a capital da primeira eurorregião criada há cerca de 25 anos.



Alberto Nuñez Feijóo entende que a cooperação e competitividade são "duas faces da mesma moeda". "Os que creem que se competimos não cooperamos e se cooperamos não competimos, não estão a viver neste século de globalização", afirmou, elegendo a "competitividade leal" e a "cooperação honesta" como via para as relações da segunda década do século XXI.


O presidente do Governo Regional da Galiza alertou para os momentos decisivos que a Europa atravessa, mencionando o "Brexit" e a antecipação das eleições no Reino Unido anunciadas hoje pela primeira-ministra britânica, Theresa May, e na necessidade de aprofundar e renovar relações entre a Galiza e Norte de Portugal.


"Ambos sabemos que a eurorregião Galiza/Norte de Portugal chega a ser um potente instrumento para o desenvolvimento dos dois países. Primeiro, porque juntos conseguimos um micromercado que conta com mais de seis milhões de pessoas e, segundo, porque juntos ganhamos massa crítica perante as instituições europeias, algo básico", concluiu.


O programa oficial da visita do chefe do governo regional da Galiza prossegue esta tarde com visitas ao UPTEC - Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e ao I3S - Instituto de Investigação e Inovação em Saúde. Segue-se, depois, a deposição de coroa de flores junto à estátua de Rosalia de Castro (Praça da Galiza) e uma visita à exposição das obras de Joan Miró: Materialidade e Metamorfose, em Serralves. Termina com um jantar na Associação Comercial do Porto, no Palácio da Bolsa.