Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Em defesa do Centro Histórico
30-06-2015

A Câmara do Porto aprovou esta terça-feira em reunião do Executivo a proposta do presidente da autarquia, Rui Moreira, de assinar com município de Gaia um protocolo para a "cooperação na reabilitação urbana e salvaguarda do centro histórico" comum às duas cidades.


De acordo com o documento, as duas câmaras comprometem-se a criar, "no prazo de 30 dias, um grupo de trabalho conjunto para a elaboração de uma proposta de estratégia articulada para a salvaguarda e valorização dos dois centros históricos".


A missão deste "Grupo de Trabalho Intermunicipal do Porto e Gaia para a Salvaguarda do Centro Histórico", cuja vigência se pode renovar "automaticamente por mais um ano", é elaborar, "no prazo de seis meses", um relatório com "uma proposta de medidas de proteção ao sítio classificado pela UNESCO como Património Mundial, abrangendo território de ambos os municípios", acrescenta o texto.


"Este protocolo de cooperação intermunicipal tem por objeto a promoção de projetos de interesse para o desenvolvimento comum dos respetivos Centros Históricos, a troca de informações técnicas, a participação conjunta na reflexão estratégica e no reforço de capacidade resultante do valor acrescentado dos dois territórios em conjunto", escreve-se no documento.


O acordo tem também como "objeto central" o aprofundamento das "condições de cada um dos municípios para a salvaguarda do bem patrimonial classificado como Património Mundial pela UNESCO, assente sobre as duas margens do rio Douro".


"O relator, apoiado no grupo de trabalho, tem por missão elaborar, no prazo de seis meses após o início do seu funcionamento, um relatório com a análise e propostas para um programa de projetos comuns a desenvolver no âmbito dos centros históricos do Porto e de Gaia", acrescenta-se no protocolo.


Na proposta, Rui Moreira sustenta ser "pretensão das autarquias aprofundarem os laços comuns, através da celebração de um protocolo de cooperação institucional para a salvaguarda conjunta do património histórico e cultural nas duas margens do Centro Histórico".