Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Porto e Funchal vão passar a colaborar regularmente na área da Proteção Civil
30-08-2016

A Câmara do Porto vai colaborar de forma regular na área da Proteção Civil com a autarquia do Funchal. Rui Moreira acolheu, com agrado, o desafio lançado, ontem, pelo presidente da Câmara do Funchal, Paulo Cafôfo, na cerimónia pública de agradecimento à equipa multidisciplinar enviada pelo Município do Porto para ajudar na avaliação das consequências dos incêndios que afetaram de forma grave aquela cidade e região no início deste mês.


"Vou propor ao presidente Rui Moreira uma colaboração entre as duas autarquias e uma partilha de conhecimento ao nível da Proteção Civil e também noutras áreas de intervenção", disse o autarca madeirense, segundo informação avançada pelo Diário de Notícias da Madeira, na edição impressa desta terça-feira.


Paulo Cafôfo destacou a importância da parceria com o município do Porto num "momento particularmente difícil" para a capital madeirense, onde os incêndios fizeram três mortos e deixaram 233 famílias desalojadas, para além de um rasto de destruição avaliado em 61 milhões de euros. "Jamais esqueceremos aquilo que fizeram por esta cidade", afirmou.


A proposta de louvor camarária será apresentada na próxima reunião do executivo liderado por Cafôfo, marcada para esta quinta-feira, e visa expressar um "reconhecimento oficial" pelo trabalho, dedicação e empenho da equipa, chefiada pelo comandante dos Sapadores Bombeiros do Porto, Rebelo de Carvalho, e composta por onze técnicos de proteção civil.

 


Regressou hoje a equipa de especialistas enviada pela Câmara do Porto


Regressou hoje do Funchal a equipa multidisciplinar de colaboradores da Câmara do Porto que esteve na ilha da Madeira. Os 11 efetivos (entre os quais, bombeiros, arquitetos, engenheiros, técnicos de apoio social) integraram, nas duas últimas semanas, o Gabinete de Apoio à Recuperação do Funchal e estiveram encarregues de inspeções ao edificado, execução de escoramentos em edifícios em risco de ruir, levantamento da área florestal ardida e vias de comunicação afetadas, promoção do regresso das famílias às suas habitações e mitigação do stress pós-traumático.




"Fomos contribuir para o retorno à normalidade o mais rápido possível", referiu Rebelo de Carvalho, Comandante do Batalhão Sapadores Bombeiros do Porto, à chegada ao aeroporto Francisco Sá Carneiro, esta manhã.


"Fizemos uma visita a todos os locais onde o fogo afetou casas e procedemos à sua avaliação", disse, explicando que no total somaram perto de 400 avaliações entre casas particulares e infraestruturas da comunidade.


"O trabalho que ficou no Funchal servirá de pontapé de saída para a reconstrução", sublinhou o Comandante do Batalhão Sapadores Bombeiros do Porto e chefe da missão.


Sandra Pinheiro, que integrou os 11 elementos, trabalhou na área social e descreve o cenário encontrada como "devastador".


"No Funchal estivemos integrados numa equipa de apoio social local, andamos no terreno, porta-a-porta, num contato de proximidade e sentimos o drama que as pessoas estão a viver: pessoas muito fragilizadas, que perderam tudo", disse a técnica da Câmara do Porto.


"Demos apoio emocional, deixamos uma mensagem de esperança, espaço para elas expressarem os seus sentimentos e, simultaneamente, tentamos perceber quais eram as necessidades imediatas em termos de vestuário, de alimentação, de alojamento".


O Governo Regional da Madeira estimou os prejuízos dos incêndios em 157 milhões de euros.