Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

"Wings for Life" três anos no Porto
29-01-2015

No próximo dia 3 de maio, a cidade do Porto será uma das 34 cidades do mundo a integrar o mapa da única corrida global da história do desporto - a "Wings for Life World Run".  A corrida solidária tem como diretor desportivo internacional o ex-tricampeão do Mundo de 110 metros barreiras, Colin Jackson, que hoje esteve na Câmara do Porto a apresentar a prova.


Sete municípios do Norte de Portugal aderiram à corrida que deverá juntar cerca de 150 mil pessoas em todo o mundo, segundo dados apresentados hoje pela organização portuguesa.


Com o lema "correr por aqueles que não podem" esta é uma corrida solidária, cuja verba das inscrições reverte na totalidade para a cura das lesões da espinal-medula. A inscrição tem um custo de 25 euros, sendo que em 2014 foram angariados pelos 30 países participantes, entre taxas de inscrição, patrocínios e doações, mais de três milhões de euros que estão já a ser aplicados em projetos de investigação da espinal-medula em todo o mundo.


O presidente da Câmara Municipal, Rui Moreira, em declarações aos jornalistas, salientou a importância do evento pela causa que apoia, mas também por envolver sete cidades num objetivo comum. "Envolve sete cidades, vai-lhes [a corrida] dar uma grande visibilidade, porque estamos a falar de um evento mundial que será transmitido a nível global", referiu o autarca.


Por sua vez, Fernando Figueiredo, responsável pela organização lusa adiantou que a versão portuguesa deverá juntar cerca de cinco mil pessoas. Já o diretor desportivo internacional da prova, Colin Jackson, campeão mundial dos 110 metros barreiras em 1993 e 1999 e vice-campeão olímpico em 1988, dirigindo-se aos atletas presentes na sessão referiu que " o objetivo é correr e aproveitar". "Qualquer pessoa pode potencialmente vir a ter este problema [lesão da espinal-medula]. A investigação é fundamental", afirmou.


Com um conceito totalmente inovador, esta é uma corrida sem distância fixa e onde as metas foram abolidas para dar lugar a um formato onde cada um define o seu objetivo, sujeitando-se depois à velocidade de um carro meta que parte 30 minutos após o pelotão.


Com partida marcada para as 12h, junto ao pavilhão Rosa Mota, no Porto, o percurso da Wings for Life World Run poderá englobar cidades como Matosinhos, Vila Nova de Gaia, Espinho, Ovar, Aveiro e Murtosa, mas sem uma distância definida ou uma chegada física.


No parque da cidade do Porto, por exemplo, estará o ponto equivalente aos cinco quilómetros. Já quem atravessar a Ponte D. Luís para chegar às caves do Vinho do Porto, em Gaia, estará a percorrer 18/20 quilómetros. Na praia de Esmoriz (Ovar) estarão percorridos 50, em S. Jacinto (Aveiro) 84 e na Murtosa 100 quilómetros.


O vencedor é encontrado por um carro que funciona como meta, que vai partir 30 minutos depois dos corredores, apanhando-os até ao último homem e à última mulher, que serão coroados campeões.


A sessão de apresentação da prova contou com as presenças do presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, do diretor desportivo internacional da Wings for Life World Run e tri-campeão mundial de atletismo, Colin Jackson, do presidente da Federação Portuguesa de Atletismo, Jorge Vieira, entre outras personalidades.


No ano passado, em Portugal, a anfitriã foi a localidade alentejana da Comporta e hoje a organização anunciou que esta corrida ficará no Norte por mais dois anos.