Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Porto trabalha para ser "cidade inteligente"
02-03-2015

O Porto é uma das cinco cidades europeias selecionadas, juntamente com Cork, Graz, Malta e Suceava, para trabalhar em estreita associação com as "cidades farol" no GrowSmarter, um projeto com o valor de 25 milhões de euros e desenhado para contribuir para uma Europa mais sustentável e ambientalmente mais inteligente.


Em fevereiro, o município portuense esteve presente em Estocolomo, na Suécia para o lançamento do GrowSmarter, juntamente com diversos presidentes de câmara, delegados de algumas cidades europeias e líderes da indústria.


"Pertencemos a este consórcio, que envolve municípios, empresas, universidades, numa candidatura que resultou vencedora e em que se candidataram mais 25 projetos que concorreram a esta fase dos projetos farol", explicou ao porto.pt, Filipe Araújo, Vereador do Ambiente e Inovação da Câmara Municipal do Porto.


O projeto será liderado por Estocolmo, Colónia e Barcelona que serão as "cidades farol", implementando 12 soluções de cidades inteligentes: da tecnologia de informação e comunicação avançada e mobilidade urbana com melhores ligações à eficiência energética. As soluções serão aplicadas num conjunto de áreas urbanas, incluindo o centro das cidades, áreas suburbanas e áreas industriais, assegurando uma amostra representativa de cidades europeias.


"Faz parte da estratégia do município e a inovação faz parte do ADN da cidade. Todo o ecossistema do empreendedorismo [do Porto] é um ecossistema muito vibrante e forte, é um ecossistema de nova geração, porque preenche muito bem uma série de áreas, muito apoiado pela indústria e pelas universidades em redor", disse o responsável da autarquia.


GrowSmarter é um modelo de organização de cidades do futuro - trabalhando em conjunto no sentido de reduzir o impacto ambiental, fortalecer o crescimento local e melhorar a vida nas cidades. Estima-se que, em 2050, haja mais de seis milhões de pessoas a viver em áreas urbanas. Esta tendência exige uma nova reflexão sobre as cidades - o desenvolvimento de um pensamento inteligente.


Filipe Araújo acrescentou também que "o Porto ambiciona tornar-se um player a nível mundial como uma cidade de futuro e cidade inteligente".


Liderado por uma equipa de parceiros europeus, incluindo ICLEI - Local Governments for Sustainability, parceiros de tecnologia ambiental e autoridades locais, o projeto foi fundado pela Comissão Europeia no âmbito do programa Horizonte 2020 e terá a duração de cinco anos. Prevê a criação de 1.500 postos de trabalho, reduzir o consumo de energia em cerca de 60 por cento, bem como reduzir em 60 por cento ao nível de projeto, as emissões de transporte na União Europeia.


A combinação de Soluções Inteligentes, a serem apresentadas em contexto urbano, procura satisfazer as necessidades de três pilares de sustentabilidade: social, ambiental e económico.


+ Info: www.grow-smarter.eu