Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Poetas residentes partilham resultado do processo criativo na Feira do Livro do Porto ao final desta tarde
11-09-2020

Esta sexta-feira, pelas 19 horas, o auditório da Biblioteca Municipal Almeida Garrett (BMAG) acolhe a conversa entre as poetas residentes desta edição da Feira do Livro do Porto, Inês Lourenço e Andreia C. Faria. A moderação será conduzida pela também poeta Catarina Santiago Costa.


Nas palavras de João Gesta, programador das Quintas de Leitura, são duas poetas "lucipotentes", que tudo iluminam. Ambas nascidas no Porto, respetivamente em 1942 e 1984, configuram "nomes inevitáveis no universo literário português".

Sobre Inês Lourenço pode ler-se na contracapa de uma das suas mais recentes publicações "Últimas Regras", editada pela Companhia das Ilhas, em 2019: "É seu um lugar imprevisto na poesia portuguesa, onde se cruzam virtuosismo verbal, ironia, quotidiano, acidez e iconoclastia, mas também um tom reflexivo e uma prolongada e candente meditação de teor existencial". Para Inês Lourenço, acrescente-se, "Um poema / é sempre uma pergunta / sem resposta".

A propósito da obra de Andreia C. Faria, refere João Gesta, "na badana da sua mais recente e premonitória obra 'Alegria para o fim do mundo'" (Porto Editora, coleção elogio da sombra, 2019), mote deste festival literário, escreve o poeta e editor da referida coleção, Valter Hugo Mãe: "O trabalho de Andreia C. Faria está entre os mais urgentes, magníficos, da poesia contemporânea. A sua profundidade, uma contenção que não a impede da frontalidade, o enunciado terrivelmente irónico, o rasgo inesperado de cada verso, fazem do seu texto uma novidade por classificar, demarcando-a inclusive do coletivo de mulheres poetas que hoje escrevem também em força e bastante esplendor".

Acicatadas por Catarina Santiago Costa, Inês Lourenço e Andreia C. Faria discorrerão sobre o seu processo criativo enquanto poetas residentes e resistentes, tendo como mote sempre presente este Porto granítico, que vê primeiro e vê mais longe.

Últimas Conversas Situadas para assistir na Feira do Livro

Algumas horas mais tarde, a partir das 21,30 horas, o mesmo auditório servirá de palco à penúltima sessão das Conversas Situadas, entre o socialista e ex-deputado europeu, Francisco Assis, e a comentadora política, autora de livros históricos, Helena Matos. A moderação da sessão intitulada "Mulher & Homem" é assegurada por José Manuel de Castro, militante do BE e ex-deputado da Assembleia Municipal do Porto.

Amanhã, sábado, decorrerá à mesma hora a última conversa, sob o tema "Poder & Poderes", com dois presidentes de Câmara como protagonistas: Rui Moreira (autarca independente do Município do Porto) e Bernardino Soares (autarca do Município de Loures, eleito pela CDU). O deputado do PS da Assembleia Municipal do Porto Pedro Braga de Carvalho é o moderador.

As Conversas Situadas, desenvolvidas pelo núcleo de programação do Museu da Cidade no âmbito das comemorações do bicentenário da Revolução Liberal do Porto, constituem um dos mais importantes segmentos do extenso programa lançado em fevereiro, sob a égide da Câmara do Porto e abruptamente interrompido pela pandemia.

Coordenado cientificamente por Pedro Baptista, inesperadamente falecido na altura em que o programa arrancava, integra um amplo conjunto de iniciativas entre as quais desponta, pela vibrante dialética temática, um conjunto de cinco conversas que põem face-a-face figuras incontornáveis do espectro político português moderadas por deputados da Assembleia Municipal do Porto oriundos de diferentes quadrantes políticos.

+ info: consulte aqui todas as informações relativas à lotação do auditório da BMAG e ao levantamento de bilhetes