Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Pódio da EDP Maratona do Porto pertenceu aos atletas etíopes numa edição que juntou 78 nacionalidades
04-11-2019
O etíope Deso Gelmisa foi o primeiro a chegar à meta, retirando mais de três minutos à sua melhor marca pessoal, mas falhando o recorde da EDP Maratona do Porto por três segundos. Já a compatriota Bontu Bekele Gada venceu a competição feminina. Carlos Costa foi o melhor português na estrada, alcançando o sétimo lugar na classificação geral.

Os atletas etíopes foram os grandes dominadores da competição da prova rainha do atletismo, que neste domingo de manhã passou pelos municípios do Porto, Matosinhos e Vila Nova de Gaia, juntando 16 mil participantes de 78 nacionalidades, no conjunto das três vertentes da EDP Maratona do Porto, organizada pela Runporto.

Num domingo que acordou cinzento, mas com uma temperatura ideal para os participantes que enfrentavam a distância mais longa, a principal dificuldade foi mesmo o vento, já que a chuva não passou mesmo de uma ameaça. E o sol até brilhou ao final da manhã, por altura da consagração dos vencedores no pódio.

Como tem sido habitual nos últimos anos, quer no Porto, quer nas principais maratonas europeias, os atletas africanos dominaram em toda a linha. A principal curiosidade era, pois, saber se o recorde da prova seria novamente batido este ano, o que esteve quase, quase a acontecer na corrida masculina?

A quatro quilómetros do fim, Deso Gelmisa isolou-se na frente, vindo a completar os 42,195 quilómetros em 02h09m08s, ficando assim a escassos três segundos do máximo fixado em 2018 pelo ugandês Robert Chemonges. Mesmo falhando o recorde, o corredor da Etiópia estabeleceu na 16.ª edição da EDP Maratona do Porto um novo recorde individual, retirando mais de três minutos à sua anterior melhor marca pessoal (2h12m38s), obtida em 2018, na cidade chinesa de Dalian.

O queniano Victor Kiplimo foi segundo classificado em 02h10m56s, também ele superando a sua melhor marca individual (02h11m04s), obtida já este ano na Dinamarca. O pódio masculino ficou completo com o etíope Debele Belda, com o tempo final de 02h14m22s.

Carlos Costa foi o melhor português, alcançando a sétima posição da classificação geral. Fez o percurso em 02h21m56s, a sua segunda melhor marca pessoal nas quatro participações que soma na prova. Atrás do atleta do São Salvador do Campo classificaram-se Hermano Ferreira (Escola de Atletismo de Coimbra), nono colocado, com 02h26m58s, enquanto Hélder Lopes (DCI/Trilhos Luso Bussaco) foi décimo, com o tempo de 02h28m37s. 

Pódio feminino também da Etiópia

Na competição feminina, o pódio teve três etíopes: Bontu Bekele Gada venceu destacada e com um novo recorde pessoal (02h33m38s), superando as compatriotas Mestawot Tadesse (02h39m14s) e Genet Getaneh (02m40m59s).

A atleta do AD Marco, Rosa Madureira, foi novamente a primeira portuguesa à chegada, terminando no 5.º lugar da classificação feminina, com o tempo final de 02h49m53s - o quarto melhor registo em cinco presenças na Maratona do Porto. Luísa Oliveira (Paredes Aventura) e Mónica Ferreira terminaram a prova na sexta e oitava posições, respetivamente. 

Para além da prova rainha, cujo de tiro partida foi dada este ano pela atleta Fernanda Ribeiro, a EDP Maratona do Porto contou ainda com uma prova solidária de 15 km, a APO Family Race Corrida dos Ossos Saudáveis. No setor masculino, o brasileiro Paulo Paula (Run Tejo) foi o vencedor. Já no lado feminino, a vencedora dos 15 km foi Susana Godinho, em representação do GD Estreito.

Para incluir toda a família e amigos numa manhã de desporto e convívio, a EDP Maratona do Porto contou ainda com uma caminhada de 6 km, a Fun Race, esta sem caráter competitivo e aberta a todas os escalões etários.

Lista completa dos resultados da EDP Maratona do Porto disponíveis aqui.