Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Percurso cultural recorda L'Arche em aventura pelo mundo da Arte Sacra
09-11-2017
O ciclo municipal de Percursos Culturais (que, hoje mesmo, promove um passeio pelo Porto de há 100 anos) propõe para sexta-feira um trajeto que tem como mote os movimentos de renovação da Arte Sacra surgidos no início do século XX.

No ano em que se completa um século sobre a criação do grupo de artistas L' Arche, inserido naqueles movimentos, o percurso começa pelas 14,30 horas na Praça do Marquês de Pombal, na Igreja da Senhora da Conceição, construída em 1938/1939 segundo projeto de um dos membros do L'Arche, o arquiteto e monge beneditino dom Paul Bellot (1876-1944).

Conduzidos pela arquiteta Domingas Vasconcelos, técnica da Divisão Municipal de Museus e Património Cultural, os participantes farão uma visita a este templo, acompanhados pelo pároco Padre Rubens e descobrindo o acervo de Arte Sacra ali existente.

O percurso terminará na Fundação Marques da Silva, também na Praça do Marquês de Pombal, onde será ainda feita referência ao Santuário Eucarístico da Penha (Guimarães), projetado pelo arquiteto José Marques da Silva e construído na mesma altura que a Igreja da Senhora da Conceição.

O grupo L'Arche foi fundado em Paris, em 1917, pela pintora francesa Valentine Reyre (1889-1943) e pelo arquiteto belga Maurice Storez (1875-1959). A ele pertenceram ainda outros artistas como Sabine Desvallières, o ourives Luc Chanel, os arquitetos Jacques Droz, Maurice Brissart e dom Paul Bellot, bem como os escultores Fernand Py e Henri Charlier. O seu objetivo era realizar uma arte cristã digna desse nome, purificada de academismos e de devaneios sentimentalistas.

Com particular expressão em França, os vários movimentos de renovação da arte religiosa católica ganharam projeção após a II Guerra Mundial, em virtude da reconstrução empreendida e do desejo instalado de promover a reconciliação entre a Igreja e a Arte Moderna. No entanto, a tendência manifestara-se já desde o início do século, particularmente nas novidades arquitetónicas e litúrgicas da década de 20, com presença também na Alemanha e na Europa do Norte.

Se a maioria dessas sociedades/movimentos acabou por se desvanecer, ainda que deixando marcas ideológicas e conceptuais a nível litúrgico e artístico, a parisiense Société de Saint Jean (Associação de Artistas Cristãos), fundada em 1939, permanece ainda em atividade e com reconhecida Utilidade Pública.

A participação nesta autêntica aventura pelo mundo da Arte Sacra na cidade do Porto e na História tem um custo de 3 euros e o bilhete pode ser adquirido online.

Mais informações através do email percursos.culturais@cm-porto.pt ou do telefone 223 393 480.