Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Palácio do Bolhão reabre esta sexta-feira, no Dia Mundial do Teatro
27-03-2015

O Palácio do Conde do Bolhão, no Porto, reabre hoje, Dia Mundial do Teatro, após nove anos de obras e com inauguração prevista para o fim da tarde. A companhia ACE/Teatro do Bolhão será a responsável por "devolver" o Palácio à comunidade, que estreia esta sexta-feira com "Édipo".


O Palácio do Conde do Bolhão foi adquirido pela Câmara do Porto e cedido, em regime de comodato, por um período de 50 anos à Academia Contemporânea do Espetáculo /Teatro do Bolhão, que se responsabilizou pelas obras de restauro e adaptação, cujo custo rondou os 2,8 milhões de euros e contou com fundos do QREN.


De acordo com António Capelo, diretor da companhia, a obra contou com apoios "oficiais", destacando-se a Câmara do Porto, o Ministério da Educação, o extinto Ministério da Cultura, mas também "pessoas anónimas" que aderiram a campanhas de angariação de fundos, para reabilitar salas, restaurar a escadaria, estando os nomes dos mecenas e patronos gravados nos degraus. Inclui ainda um auditório construído nas traseiras do edifício principal.


O Palácio, espaço classificado como Monumento de Interesse Público, foi a residência de António Alves de Sousa Guimarães, barão e, posteriormente, conde do Bolhão, um local procurado para a realização de bailes e festas entre a burguesia do século XIX. Foi construído em meados do século XIX, hospedou a família real e foi palco de festas sumptuosas (Camilo Castelo Branco era um dos habitués). Mais tarde passou à posse de Emílio Biel, editor alemão e um dos precursores da fotografia em Portugal, acolhendo a famosa Casa Biel. 


Leia também: Palácio do Bolhão reabre em março reabilitado