Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Origem de Cristo revela-se na Igreja de São Francisco
13-12-2019

O ciclo sobre património material e imaterial da cidade Um Objeto e seus Discursos por Semana acaba o ano a descobrir a origem de Cristo no Museu da Igreja de São Francisco.


A sessão, de acesso livre e marcada para as 18 horas deste sábado, vai tomar por mote a Árvore de Jessé, uma representação iconográfica da genealogia humana de Cristo, baseada numa profecia de Isaías.

Na sua forma de representação mais comum, Jessé, pai do Rei David, surge reclinado ou adormecido, e do seu ventre nasce uma árvore em cujos ramos se representam os antepassados de Jesus Cristo, como forma de ressaltar a sua natureza humana. Por outro lado, representa-se também a genealogia espiritual através das previsões dos profetas, antecessores espirituais de Cristo.

Assim, a Árvore de Jessé representa a passagem da geração carnal de Jessé à geração espiritual, com a Virgem e o Menino, que se representam no topo da árvore.
Amplamente representada ao longo do tempo, esta temática tem na igreja-museu da Ordem de São Francisco, junto ao Palácio da Bolsa, um dos seus exemplares mais exuberantes.

Em pleno Advento, o provedor da Ordem de São Francisco, Gonçalo Vasconcelos e Sousa, recebe na igreja-museu o último evento do Objeto e seus Discursos, para falar daquele magnífico retábulo na companhia do teólogo Abel Canavarro e do historiador de arte Nuno Resende Mendes.