Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

Aqui está a nascer o novo Centro de Saúde da Batalha
04-11-2016

As obras de construção do Centro de Saúde da Batalha já começaram e fazem parte da Carta de Equipamentos de Saúde Primários do Porto. O protocolo estabelecido entre a autarquia e a Administração Regional de Saúde do Norte visa a remodelação e adaptação das instalações às necessidades de profissionais de saúde e utentes. Rui Moreira e o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, visitaram hoje o edifício que está a ser intervencionado.


 

O investimento em curso, subsidiado por fundos europeus, com um valor superior a 1,7 milhões de euros, vai dotar a Unidade de Saúde Familiar (USF) Rainha D. Amélia, a Unidade de Cuidados na Comunidade (UCC) Baixa do Porto, a Unidade de Saúde Pública (USP) do Porto Ocidental e o Centro de Vacinação Internacional do Porto, com instalações que permitam melhorar a qualidade, a humanização e a segurança de todos os seus utilizadores.



De referir que as unidades mencionadas funcionaram, durante vários anos, em edifícios alugados que não reuniam as condições indispensáveis à prestação de cuidados de saúde. No âmbito da Carta de Equipamento de Saúde Primários do Porto, estão ainda previstos fortes investimentos no novo Centro de Saúde de Ramalde e nas unidades de Campanhã.



Durante a visita, Rui Moreira mostrou o seu contentamento com as obras em curso e recordou que a fixação de nova população no Porto também "depende da criação de equipamentos desta qualidade, que permitam que a cidade seja mais confortável e interessante".



Para o secretário de Estado, Fernando Araújo, a "reforma dos cuidados primários é crucial", salientando o trabalho da autarquia e recordando o importante contributo da Carta de Equipamentos de Saúde Primários do Porto na identificação e mapeamento das áreas a intervencionar.



A obra, que estará concluída no início de 2018, estima uma área bruta superior a 900 m2 para o edifício, sendo constituída por um módulo de saúde familiar (com nove gabinetes médicos, três gabinetes de enfermagem e duas salas de tratamento), um módulo de saúde pública e um módulo de cuidados na comunidade.