Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

O São Pedro rendeu-se e o São João começou bem cedo a confirmar a tradição
23-06-2018
A noite de São João começou a meio da tarde, pois os portuenses aproveitaram o facto de ser sábado e as condições atmosféricas convidarem a vir para a rua. A festa popular faz-se, por isso, desde bem cedo, e até o presidente da Câmara se lhe juntou logo às 18,30 horas.

Rui Moreira foi até aos Guindais
Desceu as escadas tradicionais
Até que chegou à Ponte Luiz I
Mas não para fazer um cruzeiro

Como manda a tradição
O presidente de Gaia foi cumprimentar
Afinal é noite São João
Há que não defraudar

Aos autarcas das duas cidades
Juntou-se o primeiro-ministro
Provaram vinho das caves
O do Porto, cá vai disto!

Agora tempo de jantar
E ver o dia anoitecer
Antes de ficar de nariz no ar
Ver o fogo acontecer.





O sol brilhava ainda e o casario refletia-se nas águas do Douro, quando Salomé se abeirou de Rui Moreira. O presidente chegara pela Batalha e preparava-se para entrar no coração da Invicta antiga por uma das zonas mais típicas: as Escadas dos Guindais. Mas a pré-adolescente venceu a timidez e estreou logo ali a dança de selfies em que Rui Moreira mergulharia em direção à Marginal.  

Descendo calmamente, acompanhado pelo empresário Mário Ferreira, vereadores e outros membros da sua equipa, o autarca fez paragem obrigatória junto Guindalense e deu o mote, petiscando de copo na mão e distribuindo conversa. Acabou mesmo por entrar na esplanada do clube, onde aquecia uma das centenas de festinhas que a cidade vive hoje, antes de retomar a empreitada pelos Guindais abaixo.

Pouco a pouco, comunidade a comunidade, o Porto típico ia-se abrindo à chegada do presidente que, sem pompa ou alarde, se deixava abraçar pelos portuenses genuínos, ávidos de um cumprimento amável que condimentasse os bolinhos de bacalhau ou o chouriço, enquanto as brasas se preparavam para embalar as sardinhas.

Mas os cheiros andavam já no ar, fumegava aqui e ali, os copos entravam na dança e o S. João reafirmava quem manda no Porto, orgulhoso da vitória sobre o S. Pedro que passara a semana com ameaças veladas à festa...

Alguns minutos depois das 19,30 horas, Rui Moreira entrou pelo tabuleiro inferior da Ponte Luiz I, em direção a Gaia. Ao seu encontro, como é já tradição, vinha o presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor Rodrigues, novamente acompanhado pelo Primeiro Ministro, António Costa. A meio da ponte que une cada vez mais os dois concelhos, os três líderes brindaram com Vinho do Porto. E despediram-se até mais logo.

Porque António Costa janta em Gaia, mas vem ao Porto ter com Rui Moreira para assistir ao esperado espetáculo do fogo-de-artifício, cujo início acerta o relógio com a chegada do dia 24, Dia de São João.

Entretanto, o autarca do Porto regressou à margem direita, onde cumprimentou o Bispo do Porto, e atravessou a Ribeira, mergulhou em tripeiros e turistas e... a festa continua. Sardinhas e pimentos, fêveras e chouriço, fumos, copos e garrafas disputam com apitos, martelinhos e martelões, alhos porros e a incontornável música popular quem dá maior contributo para este ambiente que só o Porto sabe viver.