Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

O primeiro parque canino da cidade abriu hoje no Jardim de Paulo Vallada
04-01-2019
A cidade do Porto conta a partir de hoje com um parque canino, que já está acessível no Jardim de Paulo Vallada (Jardim das Pedras), junto à Avenida de Fernão de Magalhães.

O primeiro parque canino da cidade é, na realidade, dois: a iniciativa municipal teve em conta a necessidade de prever a presença simultânea de vários animais, pelo que foi implementado um parque para cães de grande porte, com uma área de 10 por 25 metros, e outro para cães mais pequenos, com a dimensão de 7 por 14 metros.

Com a presença do presidente da Câmara, Rui Moreira, e do seu vice-presidente, Filipe Araújo, bem como do  presidente da Junta de Freguesia do Bonfim, José Manuel Carvalho, ficou assim inaugurada a instalação deste tipo de equipamentos no Porto, que visam corresponder a uma ânsia da população de poder ter um local onde largar os seus cães em segurança.

A decisão de avançar com o primeiro parque canino veio também na sequência da constatação de que estava a aumentar o número de animais de estimação na cidade, nomeadamente os cães, o que tornava evidente a necessidade de criar zonas específicas destinadas ao recreio e atividades destes animais, por forma a fomentar a sua saudável e segura permanência no espaço público, mas sem o uso de trela.

Por isso, os novos parques abertos desde hoje ao público são vedados, o que permite aos animais correr e brincar livremente sem trela, mas de acordo com as regras estabelecidas e afixadas em painel próprio no local.

Na entrada de cada parque, localiza-se uma antecâmara para que os donos possam tirar as trelas.


A vedação é constituída por painéis em madeira, configurando um espaço aprazível e de saudável integração no Jardim de Paulo Vallada, conhecido também como Jardim das Pedras e localizado entre a Rua de Santos Pousada e a Avenida de Fernão de Magalhães. Este jardim tem a vantagem de conjugar o parque canino com outros equipamentos já existentes, como um grande relvado, um ringue desportivo e parque infantil.

Os espaços hoje inaugurados já por vários animais acompanhados pelos donos estão dotados de diferentes equipamentos em madeira que possibilitam aos cães fazerem exercícios em salto, em rampa ou em paliçada, de modo a promover o exercício físico, agilidade e destreza. Contemplam, igualmente, uma caixa de areia para que os cães possam escavar.

De modo a criar um ambiente com sombra para os dias em que tal se revele necessário, irá proceder-se à plantação de mais espécies arbóreas na envolvente, mantendo-se o relvado já existente.

Além disso, o arranjo do espaço previu a colocação de bancos em betão, bebedouros para humanos, bebedouros caninos e papeleiras com dispensador de sacos para recolha e deposição de dejetos.

A criação destes parques, que corresponde a um investimento municipal de 38 400,00€ + IVA, insere-se na política de bem-estar animal que a Câmara do Porto vem implementando nos últimos anos. Como apontou nesta manhã o vice-presidente da autarquia e vereador da Inovação e Ambiente, Filipe Araújo, a estratégia tem como principal investimento o Centro de Recolha Oficial, que deverá abrir em maio, mas contempla vários outros, como é o caso destes parques caninos.

O Município irá avaliar e monitorizar a instalação e a utilização deste equipamento, por forma a avaliar uma eventual expansão da rede de parques caninos na cidade, segundo admitiu Filipe Araújo, referindo que "contamos com o bom uso por parte da população".