Este website usa cookies. Ao continuar a navegar no nosso website está a consentir a utilização de cookies. Aceitar
o portal de notícias do Porto.

Destaques

O preço da água no Porto está mesmo a baixar? Conheça aqui os números
19-12-2018
O Preço da água no Porto desceu 3,2% desde que Rui Moreira é presidente da Câmara, depois de ter subido 27,5% nos 12 anos anteriores, quando a Câmara era presidida por Rui Rio e pelo PSD. As contas referem-se ao acumulado dos sucessivos aumentos realizados entre 2002 e 2013 e às reduções de preço que se verificam desde 2014. O sucesso deve-se à boa gestão da empresa municipal.

As contas servem para esclarecer os portuenses, depois do vereador do PSD Álvaro Almeida ter ontem criticado em reunião pública de Executivo o presidente Rui Moreira por "descer pouco" o preço da água, considerando que "-2% na tarifa base não é descida". A verdade é que Rui Moreira tem baixado o valor a pagar pelos portuenses desde que chegou a presidente, apesar do aumento do preço da água que é fornecida à empresa municipal, ou seja, apesar do custo da matéria prima estar a crescer. O mesmo não aconteceu nos anos em que o PSD presidia à Câmara do Porto, em que o aumento da matéria prima era sempre repercutido no bolso dos munícipes.

Para se perceber melhor o cálculo, tomou-se por base uma conta de água 100 euros em 2002 e projectaram-se as sucessivas variações. Se o valor a pagar fosse 100 euros para um munícipe no início do Século, a conta teria subido para os 127,5 euros, no final dos três mandatos de Rui Rio, ou seja, enquanto o PSD presidiu à Câmara do Porto (até 2013). Contudo, a "conta" baixou, com Rui Moreira, a partir daí, para os 123,3 euros em cinco anos. Ou seja, menos 4,2 euros, do que antes, o que contrasta com a subida de 27,5 euros referentes aos aumentos anteriores.

Os quatro maiores crescimentos de preço da água neste Século aconteceram também durante os mandatos de Rui Rio, em 2002, 2003, 2004 e no final do seu último mandato, em 2012, anos em que fez aprovar aumentos superiores a 3%. Em 12 anos de mandato, Rui Rio só por uma vez baixou o preço da água e em apenas -1%, ano em que o preço da matéria prima baixou mais do que isso (-1,3%).

Em cinco anos, Rui Moreira baixou três vezes o preço da água (2015, 2017 e agora para 2019) e manteve dois (2014 e 2018). Só em 2016 o preço da água subiu com Rui Moreira. Mas, nesse ano, o preço da matéria prima tinha subido 7,8% (a maior subida de sempre), depois do Governo liderado pelo PSD ter fundido as empresas de abastecimento em alta, decisão revertida pelo Governo PS, depois de muito  contestada pela Câmara do Porto e outros municípios. Apesar disso, Rui Moreira decidiu assumir boa parte do custo desse aumento, reportando apenas uma pequena parte aos consumidores.

Note-se que, nos mandatos de Rui Moreira, o preço da água em alta (valor a que o Município adquire à Águas de Douro e Paiva) subiu um acumulado de 18,6%, tendo o preço ao consumidor baixado 3,2%, o que representa um ganho superior a 20% reflectido directamente no bolso dos consumidores, graças aos ganhos de eficiência da empresa municipal Águas do Porto. Estes cortes na factura da água acontecem mesmo que o Porto seja já um dos Municípios com água mais barata do país entre concelhos de grande dimensão.

Já no tempo em que o PSD presidia à Câmara do Porto, o preço da água ao consumidor na cidade subiu mais de 27% e acima do custo da matéria prima. Ou seja, a empresa municipal, no tempo de Rui Rio, lucrou com a variação do preço, com prejuízo para os portuenses.

Para 2019, Rui Moreira propôs uma descida de 2% do preço da água no primeiro escalão, o que abrange todos os munícipes, apesar do preço a pagar pela empresa municipal ter subido 2,48%. Álvaro Almeida, o vereador do PSD, disse na reunião de executivo que descer 2% na tarifa base não era reduzir o preço da água aos portuenses e não votou favoravelmente a proposta de Rui Moreira, contrariando o sentido de voto de todos os outros partidos e dos vereadores independentes.